Review – Damages 4×05 – We’ll Just Have To Find Another Way To Cut The Balls Off Of This Thing

É triste dizer isto, mas Damages derrapou feio neste quinto episódio. Depois de usar um artifício bobo na semana anterior, esse daqui veio monótono e com um roteiro digno de um filme ruim feito pra TV, desses que passavam no Supercine na década de 90.

O recurso de enganar o espectador da forma como Damages tentou só funciona se for realmente surpreendente e orgânico dentro da narrativa da série, o que não ocorreu nem de perto por aqui. A intenção já ficou clara quando o detetive citou que o suposto terrorista havia deixado a bomba inativa sem querer, algo que não seria possível depois que pudemos ver do que o capanga é capaz ao longo da temporada. Daí, foi constrangedor acompanhar as cenas finais, com aquela montagem mega clichê e pensando se alguém realmente se enganou com aquilo.

Além disso, a artimanha trouxe diversos furos na trama, como a facilidade com que o cara conseguiu os fios de cabelo do afegão  e com que o comparsa simplesmete hackeou o banco de dados da CIA. Ambos os casos soaram implausíveis. O recurso foge daquilo que a série costuma trazer: roteiros inteligentes, intrincados e redondos. Além disso, a situação termina por representar um retrocesso na história, já que novamente a (brilhante) dupla de advogadas foi passada para trás, numa temporada que já está na metade e ainda não convenceu plenamente.

O drama da Catherine doente serviu novamente para humanizar a Patty, uma tecla em que os roteiristas vêm batendo insistentemente. Só que ela era muito mais legal sendo bitch, passando por cima de todo mundo, manipulando e enganando. Foi isso que fez a gente gostar dela e não suas inseguranças e complexos, por mais que eu goste de vê-la sofrer ao pegar o “X” no meio de 36 papeizinhos.

Como único ponto positivo, ficou novamente a abordagem do Howard e a atuação do John Goodman, que é eficiente em retratar as diversas personalidades de Erickson: aquela que ele mostra quando está com os filhos, a forma como age perante seu advogado que não está ciente da real agenda do seu cliente, e aquela em que ele se mostra quase um gângster cometendo crimes para que a “segurança nacional não fique em risco”.

Publicado em agosto 18, 2011, em Damages, Review. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: