Review – Parenthood 3×02 – Hey, If You’re Not Using That Baby…


Tantas storylines, tão pouco tempo…

Um dos problemas de Parenthood, é que, além de possuir um vasto elenco, possui alguns problemas de continuidade como foi na segunda temporada. Sei que estamos somente no começo da terceira temporada, e já posso afirmar que os roteiristas estão acertando em cheio.

Não estou reclamando quando falo que teve pouco tempo para tudo o que aconteceu. Na verdade, tudo aconteceu de forma aceitável, novamente, com todos conseguindo seus momentos e cenas de tirar o fôlego. Achei que precisava de mais uns minutinhos pois sempre me sinto tão ligado com a família Braverman. Porra, o ator que faz Alex deveria ganhar logo um Emmy só pela cena na qual ele faz uma confissão torturosa sobre o próprio passado. Achava, na semana passada, que essa ideia de colocar um drama no relacionamento dos dois não foi uma boa ideia, mas agora, digo com toda a vontade que precisávamos de alguma história tão real como essa. Não é como se ele tivesse batido o carro embriagado, foi algo bastante sério.

Julia, por outro lado, é tão adorável que fica difícil rir da situação. Óbvio que a garota do café não iria aceitar vender o bebê  Mas pior ainda foi descobrir que ela estava trabalhando com uma agência de adoção. Eu sei que Julia quer ter um bebê rápido, mas acho que não vai ser um problema, novamente, já que ela possui um dos maridos mais gostosos do mundo. Sarah, por outro lado, anda meio perdida na história. Gosto muito, amo na verdade, Lauren Graham, mas a história dela com o professor não bate. Eu também tenho minhas dúvidas da mesma forma que a personagem tinha até o meio do episódio. Não sei se eles dão certo. Adam, por outro lado, salva sempre a série quando aparece, sempre tentando fazer o que ele julga que é certo, mas acho que ninguém tinha dúvidas que ele iria acabar aceitando a parceria com Crosby. Principalmente após aquele discurso que ele deu na frente do proprietário do estúdio. Provavelmente, o negócio não vai pra frente, mas pelo menos eles tentaram TOGETHER.

E como sempre, a série nunca faz errado quando tem que lidar com o autismo de Max. Agora com ele numa escola para crianças normais, os conflitos seriam bem complicados, mas gostei de como não jogaram logo tudo o que poderia acontecer logo no primeiro dia de aula. Eles sempre conseguem lidar com a síndrome de forma autêntica, honesta e envolvente.

Publicado em setembro 25, 2011, em Parenthood, Review. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: