Review – Glee 3×02 – I am Unicorn

Quando um pônei faz uma boa ação, ganha um chifre, virando um unicórnio; mas fica fazendo coco de algodão doce até se esquecer que é mágico e perde o chifre. Não, Brittany, você que é o unicórnio sem chifre!

Eu avisei semana passada que esse episódio de Glee iria ser praticamente com músicas da Broadway, então sim, se você odeia musical e músicas lentas, você está certo em odiar esse episódio. O motivo que eu não gostei do episódio (sem contar que é o motivo mais plausível, já que Glee nunca agrada 100% na escola das músicas) foi simplesmente a falta de consistência. Kurt, por três anos, foi um dos poucos personagens na TV que era confortável de verdade com a própria pele. Agora, no meio do nada (como se ele fosse pensar em musicais só agora) ele começa a achar que conseguir papéis de protagonistas héteros na Broadway é mais importante do que aceitar o unicórnio brilhante que ele é. Algo totalmente sem nexo.

Infelizmente, com ele não sendo o protagonista e claramente Blaine (que provalmente é a melhor coisa que aconteceu com Kurt além de ter descoberto o hidrante facial) conseguindo esse papel, o relacionamento dos dois se tornará complicado. Porém, os dois tinham que saber que já que estão estudando na mesma escola, no mesmo grupo de coral, era inevitável que haveria algum momento em que um dos não conseguiria o que queria. Kurt precisa ser uma pessoa amigável e deixar essa passar. Gosto de West Side Story, mas há outras produções melhores.

Brittany, além de ser a melhor dançarina de lá e ainda ter o mesmo nome da Britney Spears, sempre aparece com as melhores teorias do mundo. Só faltava ela chegar com a teoria de que a água do oceano é salgada pois é cheia de esperma de baleias. Pensem direito nisso, faz sentido.

Shelby está de volta com a voz mais potente de Glee. A forma como ela voltou é até aceitável, considerando que ninguém nunca disse um NÃO para Sugar-podre. Além de ter voltado com vontade de consertar as coisas com Rachel, também quer fazer uma Família Moderna com Quinn e Puck. Será que está ficando complicado pagar as contas, então ela precisa de um homem na família?

Além do mais, Quinn decidiu mudar o visual só para conseguir a guarda da filha. Eu realmente tinha achado bem estranho todo aquele momento no ensaio, tinha um pressentimento de que Quinn estava querendo algo mais. Ela só não foi inteligente por ter contado todo o plot superevil para Puck.

O planinho da Sue sobre as Artes é totalmente desnecessário. Gostava bem mais da personagem quando ela tentava acabar diretamente com o Glee Club, e não com todos os Glee Clubs e afins de Ohio. Sem contar que se colocarem Will como concorrente, sabemos que ele não vai ganhar. O cabelo dele é muito seboso.
Músicas do episódio:

“Somewhere” – West Side Story (Rachel e Shelby)
“I’m the Greatest Star” – Funny Girl (Kurt)
“Something’s Coming” – West Side Story (Blaine)

Publicado em outubro 3, 2011, em Glee, Review. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: