Review: American Horror Story 1×01-06 – Pilot/ Home Invasion/ Murder House/ Halloween: Part 1 an 2/ Piggy, Piggy

Que terror que nada, não passa de um drama, suspense e sexo.


Demorei  pra assistir American Horror Story com medinho de ver, achando que assusta mais que Supernatural, mas ambas nem chegam a dar calafrios. A série é dos mesmos criadores de Glee e Nip/Tuck, contando sobre uma casa mal assombrada, cheia de fantasmas e maldições ou seja, um tema clichê, então não é difícil enxergar da onde vem o título da série, já que os EUA só sabem fazer isso.
A história conta sobre a família Harmon, que acaba de se mudar para a tão bizarra casa, após a esposa Vivien (Tami Taylor – Friday Night Lights) descobrir que seu marido Ben (Dylan McDermott  – Dark Blue) acaba de ter um affair com uma de suas estudantes bitches. Então foi daí que gostei da série, porque é esse draminha familiar, além da filha rebelde e com total razão, Juliet.
O Pilot foi maravilhoso na minha opinião, roteiro bem construtivo e meio bizarro, atores ótimos e fotografia perfeita. O QUE FOI AQUELA CENA NO PORÃO? Foi bem sinistro quando Tate mandou apagou as luzes e assustou aquela garota, mas ele se transformou naquele fantasma? Difícil explicar aquela cena. O mais bizarro foi A COISA MAIS ESTRANHA: um mascarado de roupa preta de couro, chamado de Rubber Man (Homem Borracha), transando com Vivien, onde vai gerar um filho alien rs. Gostei também da governanta Moira, para as mulheres, ela é uma velha de um olho cego, e para os homens ela é uma jovem tarada prostituta, querendo sexo e fazendo seus patrões ficarem tentados e masturbando em cantos alheios da casa, provocando a traição e confusões no laço familiar. Muito bem feito a jogada de câmera quando a velha governanta se transforma na bitch. Ah, e essa Constance vizinha louca?
Em Home Invasion, melhorou um pouco essa questão dos fantasmas, mas com esse tema de invasão na casa, eu esperava que fosse mais macabro. Aquele cara de rosto queimado e quase pra morrer só ficou botando medinho no Ben, mas também sua aparição nesse e nos outros episódios foi desnecessária. Confesso que a menina de Síndrome de Down bota mais medo do que os próprios fantasmas, ela tem medo de si mesma (porque né, trancada num armário de espelhos e gritando..) e me dá vontade de matá-la de tantas vezes que ela entra na casa sem permissão. 
No episódio Murder House, foi outro perfeito episódio, gostei da história da governanta, de como a vizinha louca a matou e foi muito massa a primeira dona visitando a casa. Foi uma loucura Ben estar num lugar depois em outro. Gostei também da trama da traição aparecer novamente, junto com a bitch que voltou pra morrer. Ah é, eles querem vender a casa? Esqueceram que ela é macabra e pessoas normais não gostam disso.
Os episódios 4 e 5, foram episódios duplos de Halloween, que como sempre, não baixaram o nível da série de nenhuma forma, aliás de Halloween com fantasias e tudo mais foi só na Parte 1, digamos que a 2 foi só um completo do drama psicótico, e claro, a linda presença de Jenna (personagem de Awkward, SIM VAMOS CHAMÁ-LA AQUI TAMBÉM DE JENNA!). Achei muito mais diva e toda sinistra aqui do que no seriado adolescente da MTV. Gostei também que apareceu o casal gay que moraram na casa, foi bem interessante. E aquele loiro que encheu a mão pegando a mala do Ben? O massa foi os gays falando que NÃO IA SAIR DA CASA porque era deles, e o moreninho REDECORANDO os próprios enfeites, a me poupe. Deu dó da doidinha lá morrer, logo agora poxa.
No cinco também tivemos a Hayden, a bitch aluna de Ben que morreu e voltou do além pra matar o cachorrinho no microondas, que não morreu.
Gente, estou adorando o Tate (Evan Peters), achei que de assassino preferido só existia o Dexter, mas o Tate é um amor de personagem, todo sinistro e problemático, querendo ajuda mas mesmo assim faz coisas erradas, não me surpreendo do Ben querendo largar seu caso. A morte do Tate foi bem lindo e dramático em Piggy, Piggy, os policiais atirando nele, enfim foi confirmado que ele era filho de Constance e irmã da doidinha, fazer o que, família de loucos. Foi bonito também quando a Juliet queria se matar e o Tate foi lá salvá-la.
E Mais:
– Meia boca foi a historinha do Homem-Porco, tentou assustar mas foi um pouco clichê. Lembrou mesmo foi Blood Mary, na 1° Temporada de Supernatural.
– O mais bizarro ainda e que várias pessoas ainda não sabe, é que as pessoas morrem, mas as almas continuam perambulando pela casa.
Não vai demorar muito, mas depois faço a review do 1×07.
Vejam as minhas notas de todos os episódios:
1×01- 10
1×02- 8.8
1×03- 9
1×04- 9.4
1×05- 9.7
1×06- 9.6
Tá vendo o tanto que a série é perfeita? Tá esperando o que? Assistam American Horror Story!
@ipcs_

Publicado em novembro 18, 2011, em American Horror Story, Primeiras Impressões, Review. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: