Arquivo da categoria: American Horror Story

Review: American Horror Story 1×12 – Afterbirth (Season Finale)

Pouco importa o nascimento, agora é assombrar os inocentes.

Concordo com a promo, “A FX Season Finale Special Event”.  Meu Deus, achei que meus melhores episódios do ano foram de Doctor Who, mas “Afterbirth” talvez seja o segundo melhor, que incrível. O roteiro foi sensacional, o crescimento do episódio foi totalmente awesome, simplesmente perfeito. Quero a Season 2, tipo… NOW!

Todo aquele começo, mostrando que Ben tava insistindo tanto pela Vivien comprar a casa, nossa já dei de cara: Nota 10, já mostrou um episódio fodástico. Todo mundo avisou né Ben? E depois de tanto tempo, ele ainda não acreditava em nada? Faça o favor Ben.  Foi bem feito a morte dele, e pegou de surpresa, o bom é que agora está com sua família. 
Falaaaaaaando em família, American Horror Story tenho certeza que quando tiver sua series finale, ainda dentro de sua história, vai continuar existindo essa casa assombrada trazendo famílias inocentes, tudo e tal (a não ser que vão demoli-la, aí já é outra história). Pronto, a família Harmon inteira morreu, acabou a temporada? Not, it’s Just the Beggining. Tipo, é como se a segunda temporada tivesse começando já, e puts, já to sentido saudade! Eu não sei não, essa corretora de imóveis tem que morrer algum dia, porque algum dia esse emprego dela de vender uma casa mal assombrada e ficar reduzindo o preço, e convencendo as pessoas sei não, vai ter prazo de validade. Acho que ela fez pacto com o demônio sei lá, atraindo as pessoas pra morte, rs.
Daí tá, chegou uma nova família, os Ramos. O marido cafona Miguel, a esposa que deveria participar de Desperate Housewives (super hot) Stacy, e o jovem rebelde sk8rt boy Gabriel. Em resumo geral: é uma família perfeita, pelo menos não tem aqueles problemas dramáticos de casais como os Harmons tinham, nem se quer o Miguel trai sua esposa. Ah só um detalhe, não gostei das partes que o Tate apareceu pra matar o Gabriel por ciúmes da Violet, pelo amor, parece que foi só pra completar o episódio, só pra Violet dizer um adeus pra ele, ou seja, foi até desnecessário.
Bom, diferente do que os Harmon’s passaram, os Ramos são bem inocentes, e não mereciam essa casa, afinal quem merece mesmo? Adorei a idéia macabra de Moira, falando que os fantasmas inocentes não deveriam permitir tristeza e mortes na casa. Então o que o Ben foi fazer? Vestiu a roupa do Rubber Man, e foi assustar Stacy, tudo pra eles saírem na casa, enquanto a esposa queimada de Larry, parecia um espírito maligno, querendo se vingar de sua morte e sentir o que ela sentiu, conduzindo Miguel para queimar sua mão na boca do fogão acesso. 
Eu ameeeei essa parte de verdade, O MEEEEEEELHOR FOI A PARTE DO PORÃO, foi bem épico! Vivien e Ben querendo assustar o casal para sair da casa, ela cortando os órgãos dele, ele atirando na cabeça dela, achei demais. O incrível é que eles conseguiram passar poucas horas na casa, e fugir dela, mas não será simplesmente tão fácil para as outras famílias inocentes que vierem, se for assim todo episódio da segunda temporada, espero que sejam bem executados.
Quanto aos bebês, achei interessante a cena que Nora está impaciente com o bebê morto de Vivien, e ela chega lá com seu laço maternal, e faz ele parar de chorar, foi bem linda essa cena, pelo menos desse bebê, ela poderá cuidar, ou pelo menos ser a babá dele, já que Nora não tem merda nenhuma de mãe em seu sangue. E aquele que ficou vivo e Hayden o roubou, e agora “pertence” a Constance, ela vai se ferrar agora, o moleque vai ser O Pequeno Dexter. Poxa, depois de tudo o que aconteceu, lembraram daquele dia que a médium falou que o nascimento de um humano e fantasma, conceberia um monstro. Aquele cliffhanger de três anos depois, que menino/demônio mata sua babá (?) e deixa rastros de sangue espalhados pela casa, foi bem intenso.
Mal posso esperar pela segunda temporada, e vocês? Tem como agüentar o coração? Será que esse menino vai ser pior que o Tate?
Nota do Episódio: 10. Talvez 10000000.
@ipcs_
Anúncios

Review: American Horror Story 1×11 – Birth

 Quando a verdade está chegando, ela pode doer.
 


O 1×11 com certeza conseguiu mostrar um episódio supreendente, com muita emoção e bizarrices como nunca, aliás, mais do que o normal. A gravidez mais rápida que já vi (depois da gravidez da BOlívia de Fringe) finalmente chegou ao seu fim.

Em poucas palavras: o 1×11 foi incrivelmente awesome, e mostrou que realmente “a casa queria um bebê”, todos os fantasmas precisavam de um bebê. Os gays, Nora, Hayden, Constance… todos querendo roubar os pequenos demônios de Vivien, que finalmente depois de dois episódios seguidos sem destaque finalmente apareceu. Até porque seria impossível, só se colocassem uma tarja nela, haha.
Violet agora que está morta, não pode nem passear com o pai, nem se entrar no carro. Se o carro sair de casa, ela some do carro e volta pra fucking house. O estranho é que os pais não pode irem embora enquanto ela estiver lá. Pena que ela foi a ultima, a saber, que Tate estuprou sua mother.
Depois de aprender os truques com a médium, aposto que o publico “colorido” da série ficaram super excitados, quando Tate tenta enfeitiçar o loirinho gay e traidor, em troca de seu anel de compromisso para afastar a “bicha e baitola” (by Constance, cena bem engraçada), depois de ameçar tomar o bebê para matá-lo e assim continuar um bebê forever. Enfim, gostei dessa cena do Tate, não sei se ele iria deixar, mas depois de admitir que revistas gays eram legais sei não hein haha, mas acabou levando uma surra, conseguiu o anel e a merda do feitiço nem prestou.
Partindo para o principal do episódio, o nascimento foi algo bem complexo. Constance toda sínica trazendo Viv de volta pra casa, simplesmente porque TINHA QUE SER NA CASA. Os fantasmas ajudando no parto foi divertido na minha opinião, longe de ser uma cena animada, mas foi bem pensado.  Um bebê morreu e foi entregue a Nora, que finalmente pode parar de encher o saco querendo um filho. E o outro, Constance levou pra Narnia (mentira), mas nem deixou Vivien olhar direito. COMO ASSIIIIIIIIIIM, A VIVIEN MORREU? QUE CENA LINDA, bem dramática e emocionante.
O mais tocante é quando depois que Juliet descobre o pai do bebê, expulsa Tate, deixando a coisa “o feitiço vira contra o feiticeiro” no ar, já que ele mesmo ensinou que para afastar os fantasmas era só gritar “vá embora”. E aaaaainda assim, ficou bonitinho quando Vivien aparece para abraçar a filha, depois de dar um fora no namorado. Um Cliffhanger incrível para a season finale.
Nota do Episódio: 10
E Mais:
– E não que essa médium foi uma personagem interessante? Ela devia aparecer desde o início! Adorei quando ela já tinha descoberto que Violet estava morta.
– Ownt, Moira chorando ao olhar o bebê!
– Parabéns pela série ser indicada ao Globo de Ouro!
@ipcs_

Review: American Horror Story 1×10 – Smoldering Children

Reviravoltas e mais reviravoltas.

Meu Deus, que episodio perfeito. American Horror Story tem se mostrado uma série perturbadora e sexual cheia de suspenses, em que a cada capítulo descobrimos mais segredos da casa, e as razões de cada morte, é uma reviravolta atrás da outra, e nesse, fiquei chocado oh gawd!
Muitas pessoas cogitaram já tinham cogitado a teoria que Violet já estava morta e etc, brincando que sabiam antes mesmos dos roteiristas. Parabéns seus mentalistas, mas esse plot me pegou de surpresa, e olha que surpresa! Foi sensacional o jeitinho dessa cena toda, saber que ela estava morta há vários episódios atrás. 
Não, e o pior foi quando ela achou o corpo, e meu deus, que cena macabra foi aquela? E ela surtando por não conseguir sair de casa, toda vez que saia entrava de novo? Foi muito boa as jogadas de câmeras. 
Uma cena extraordinária também, foi quando o Tate vestiu mais uma vez de Rubber Man, para matar Ben, enquanto ele estava de toalha depois do banho. O estranho é que depois de ele lutar tanto com o estrupador de sua esposa, a toalha não caiu (como diz o Jack de Doctor Who “Senhoras e senhores, sua audiência acaba de subir”), o que não foi o caso.
Não tem como deixar de falar uma coisa (muitas) sobre Constance e Larry, OMG o episódio foi 70% deles! Desde aquela primeira cena que até a QUERIDA Addie está na mesa, junto com a LINDA “família” Constance, Tate e Larry, que descobrimos que esse homem desgraçado não queimou a cara no próprio incêndio que ele matou sua família, mas foi Tate, que simplesmente foi no trabalho de Larry, carregando uma jarra de querosene e tacou fogo, menino atrevido sô!
E não acaba por ai, Larry ficou o episodio inteeeeeeeiro só de mimimi, Me ama Constance, me ama Constance, enquanto a vaca loira estava sobre investigação da morte de seu CACHORRINHO no episódio passado. O mais intrigante quando Constance foi interrogada, é que descobrimos que quando ela matou seu marido e Moira (falando nela que saudade), ela enterrou a Moira e triturou o corpo do marido, PARA OS CACHORROS COMEREM, uma das cenas mais macabras da série.
Os roteiristas deixaram de lado a Vivien, que de protagonista agora é coadjuvante. Antes quando ela passava mal da gravidez era só voltar pra casa que melhorava, agora ela ta bem longeee e ainda está viva, por enquanto. Pela promo do 1×11, até que enfim vai nascer esse bebê maldito.
Nota do Episódio: 9.9
@ipcs_

Fotos Promocionais: American Horror Story 1×11 – Birth

Foram liberadas algumas fotos Promocionais do próximo episódio de American Horror Story, veja:

Fonte: American Horror Story Brasil

Review: American Horror Story 1×09 – Spooky Little Girl

 Quando o terror mexe com religião.
Um maravilhoso episódio e ao mesmo tempo demorou a acabar. Tiveram umas cenas bemm boring, acredito que aquele início que mostrou uma jovem no dentista antigo morador da casa, foi o pior plot dos moradores antigos já mostrados em American Horror Story, exceto uma coisa: essa história da Elizaberth Short, foi história de um filme, tudo bem que foi ruim mas foi tenso quando a Beth é encontrada morta, pior foi que o dentista além de sedá-la, transou com ela.

Hayden brilhou novamente e roubou as cenas da Vadiolet, que devia até aparecer depois de dar uma de sonsa no episódio passado. A vadia da Hayden abusou de mais da coisa de ser fantasma e ter o controle de que os vivos a vejam, se tornando real, deu uma de whore e ficou copulando com UM DOS brinquedinhos de Constance, que até o cara gostava da coroa, mas ele não aceitou a proposta LINDA da velha e depois de negar mais uma rapidinha com Hayden, a vadia esquartejou à facadas e o fez em pedaços. Uma cena awesome, quando apareceram os fantasmas reunidos para tirar o corpo da casa e Ben não ser preso.
Outra beatiful bitch no episódio, e como sempre, foi Moira, que causou como jamais causou, abusou de seus dotes sexuais na sua longa tentativa de atrair Ben, que nem um segundo sequer não deixou de pensar como estaria ali, fazendo parte dos desejos molhados da governanta macabra mais abusada que já conheci. Foi bem excitante também Moira e Elizaberth em pleno ambiente lésbico, estavam chamando Ben para um ménage a trois, pena que ele despediu a Moira né, mas creio que ela volta.
O que me chocou mais, foi saber que os gêmeos de Vivien além de ser uns monstrinhos, um gêmeo é filho de Ben e outro é de Tate, COMO ASSIMMMMMM? Já foi bem polemico no episódio passado que vimos que Rubber Man era Tate e que tinha transado com Viven, mas espera, eu nunca vi gêmeos serem de pais diferentes, foi bem sinistro. O pior foi o final, quando a loira oxigenada fala de um segredo do Papa e sobre o anti-cristo ser o filho de um ser humano e um fantasma, que trará a destruição do mundo. AHS só fica causando a cada episódio, mas partir para o lado religioso seja a melhor solução? Eita vai ter neguinho que vai achar ruim esse lado da série hein. Eu amei, apesar de bem tenso.
Enfim, esperava mais das cenas de Vivien no hospício, nem foram tão boas, só quando Ben declara que não salvaria a esposa de lá, achando que ela o traiu intencionalmente. Falando sobre Ben, foi awesome quando ele chama o chocolate (como diz o @marcocpontes) pra dizer que não vai dividir os gêmeos com o policial, mas tudo isso resulta numa reviravolta, pois Ben cai a ficha que Vivien foi violentada, e quando ele fala isso pra Moira jovem, ela dá a liberdade para Ben enxerguá-la como Moira realmente é, uma velha de olho cego, assim como ele conseguiu enxergar as coisas como são.
Nota do Episódio: 8.9
@ipcs_

Review: American Horror Story 1×08 – Rubber Man

Agora sim tá com cara de casa assombrada.



Que… Episódio… Maravilhoso esse Rubber Man! Um incrível capítulo, que finalmente mostrou ser uma série pertubadora, que mexe com a cabeça e que faz qualquer pessoa parar no hospício.  O drama nesse episódio, foi maravilhoso e mostrou tantas coisas e fechou alguns plots que estavam em aberto.
A identidade do homem de borracha, ninguém precisa saber que pode ser qualquer um, mas as cenas dos episódios passados em que ele apareceu, revelaram que nada mais, nada menos que Tate, foi o homem de borracha que engravidou Vivien, gente estou chocado. Acho que o Tate é muito mais velho do que aparenta ser, simplesmente ele usa sua capacidade de aparecer e desaparecer quando ele quiser.
Brilhante foram as cenas de Hayden que teve mais espaço na tela e resolveu ABUSAR de seus dotes fantasmagóricos para assustar Vivien e tirar os pequenos demônios que estão crescendo em seu útero, já que a primeira dona da casa só quer ter um bebê também. Foi BEM TENSO quando Tate estava de Rubber Man e tentou transar com Vivien e toda aquela loucura de levá-la para o hospício, enquanto a queridinha Vadiolet ficou com a cara de cu falando que não viu nada, que deselegante.
Fiquei com uma puta raiva da Violet, ops…Vadiolet logo quando Moira finalmente avisa a Vivien que a casa era assombrada (BOA TARDE, CAIU A FICHA?),  ela decide ir embora, pegando Violet e suas trouxas colocando no carro (QUE DÓ DO TATE OLHANDO PRA VADIOLET!), daí apareceram uns fantasmas no carro, ou seja,  quem entra pra morar naquela casa, não sai de lá nem morto e Hayden confirmou isso, dizendo que os mortos da casa ficam presos nela.
As cenas dos gays lá foram bem broxantes, pelo menos descobrimos que aquele moreno é que trouxe a roupa sexual de borracha para atrair seu namorado broxante e como descobrimos no em Halloween Part 1, o Rubber Man (Tate) é que matou o casal polêmico da casa, e aindaaa fez o favor, de introduzir um bastão de ferro na parte que o loirinho mais gosta, claro, rasgando seu glúteo. Mas enfim, a questão é: como será a casa com Vivien no hospício? Será que os fantasmas vão deixar levá-la?
Nota do Episódio: 9.8
P.S: Amanhã posto a review do 1×09! Ia fazer review dupla, mas empolguei demais hehe.
@ipcs_

Review: American Horror Story 1×07 – Open House

Acredito que pode ser melhor do que isso.


Desses seis últimos episódios maravilhosos, chegou esse sem sal. Esse plot de vender a casa pode demorar bem mais do que eu pensava, afinal vender uma casa macabra não será fácil, o pior são os compradores psicóticos.

Descobrimos um pouco mais sobre Larry, o cara de rosto queimado. Foi e ainda é apaixonado por Constance? Sério cara, se mata. De princípio achei que aquele filho monstro era dele e de Constance, mas depois daquele flashback sobre os primeiros moradores Nora e Charlie, acredito que aquela criatura é o bebê de Constance, mas queria ver é o filho estranho onde Charlie trocou as peças de seu filho, e agora que Vivien caiu a ficha que a Nora visitou a casa? Deu a louca na chapeuzinho.

Agora Vivien terá gêmeos e eles estão perfeitamente bem? Seriously roteiristas? Já não bastou a enfermeira ter quase enfartado de ver uma amostra do monstro quando Vi fez ultrassom? O pior é isso mesmo, o ultrasson já teria mostrado dois corações, porque né, ela não fez só um ou dois. Também acho que não é uma boa idéia Vivian e Ben separar logo agora, ainda mais com Juliet depressiva muito mais do que já é.

Não gostei também daquele comprador, só serviu pra dar mais promiscuidade na série com fantasias sexuais da Moira jovem fazendo sexo oral nele, enfim. O impressionante é que, depois de tantos anos de gerra, Moira e Constance se juntaram para fazer um assassinato. Doeu até em mim quando a Moira ficou com a boca cheia de sangue depois de morder o brinquedo do cara.

Não entendi essa do Tate, ele morreu ou não morreu? Porque sei lá ficou confuso, o Ben tratando do Tate novamente, será que Ben sabe que seu paciente morreu? Se alguém aí souber de algo, comente aí. Gostei de como o rumo da relação de Violet e Tate está indo, ele ajudando-a a espantar fantasmas foi ótimo, o bom é que eles arranjaram várias revistas de G Magazine para passar o tempo.

Nota do Episódio: 7.9
E Mais:
– Gente, essa serie é só comédia, tem falas bem sarcásticas.
– Melhor frase: Vários homens nessa cidade adorariam me possuir nesse balcão. SE TOCA NÉ VELHA COROA, haha me poupe.
– Se eu não falei na outra mega review do 1×01/02/03/04/05/06, adoro quando os episódios se iniciam contando histórias dos outros moradores de anos diferentes, e como aconteceram suas mortes.
– E GENTE? O que foi aquele sonho tarado da Vivien? Ela imaginando que está transando com um negão, depois com o Ben e DO NADA o Rubber Man (Home borracha)!
 

@ipcs_

Review: American Horror Story 1×01-06 – Pilot/ Home Invasion/ Murder House/ Halloween: Part 1 an 2/ Piggy, Piggy

Que terror que nada, não passa de um drama, suspense e sexo.


Demorei  pra assistir American Horror Story com medinho de ver, achando que assusta mais que Supernatural, mas ambas nem chegam a dar calafrios. A série é dos mesmos criadores de Glee e Nip/Tuck, contando sobre uma casa mal assombrada, cheia de fantasmas e maldições ou seja, um tema clichê, então não é difícil enxergar da onde vem o título da série, já que os EUA só sabem fazer isso.
A história conta sobre a família Harmon, que acaba de se mudar para a tão bizarra casa, após a esposa Vivien (Tami Taylor – Friday Night Lights) descobrir que seu marido Ben (Dylan McDermott  – Dark Blue) acaba de ter um affair com uma de suas estudantes bitches. Então foi daí que gostei da série, porque é esse draminha familiar, além da filha rebelde e com total razão, Juliet.
O Pilot foi maravilhoso na minha opinião, roteiro bem construtivo e meio bizarro, atores ótimos e fotografia perfeita. O QUE FOI AQUELA CENA NO PORÃO? Foi bem sinistro quando Tate mandou apagou as luzes e assustou aquela garota, mas ele se transformou naquele fantasma? Difícil explicar aquela cena. O mais bizarro foi A COISA MAIS ESTRANHA: um mascarado de roupa preta de couro, chamado de Rubber Man (Homem Borracha), transando com Vivien, onde vai gerar um filho alien rs. Gostei também da governanta Moira, para as mulheres, ela é uma velha de um olho cego, e para os homens ela é uma jovem tarada prostituta, querendo sexo e fazendo seus patrões ficarem tentados e masturbando em cantos alheios da casa, provocando a traição e confusões no laço familiar. Muito bem feito a jogada de câmera quando a velha governanta se transforma na bitch. Ah, e essa Constance vizinha louca?
Em Home Invasion, melhorou um pouco essa questão dos fantasmas, mas com esse tema de invasão na casa, eu esperava que fosse mais macabro. Aquele cara de rosto queimado e quase pra morrer só ficou botando medinho no Ben, mas também sua aparição nesse e nos outros episódios foi desnecessária. Confesso que a menina de Síndrome de Down bota mais medo do que os próprios fantasmas, ela tem medo de si mesma (porque né, trancada num armário de espelhos e gritando..) e me dá vontade de matá-la de tantas vezes que ela entra na casa sem permissão. 
No episódio Murder House, foi outro perfeito episódio, gostei da história da governanta, de como a vizinha louca a matou e foi muito massa a primeira dona visitando a casa. Foi uma loucura Ben estar num lugar depois em outro. Gostei também da trama da traição aparecer novamente, junto com a bitch que voltou pra morrer. Ah é, eles querem vender a casa? Esqueceram que ela é macabra e pessoas normais não gostam disso.
Os episódios 4 e 5, foram episódios duplos de Halloween, que como sempre, não baixaram o nível da série de nenhuma forma, aliás de Halloween com fantasias e tudo mais foi só na Parte 1, digamos que a 2 foi só um completo do drama psicótico, e claro, a linda presença de Jenna (personagem de Awkward, SIM VAMOS CHAMÁ-LA AQUI TAMBÉM DE JENNA!). Achei muito mais diva e toda sinistra aqui do que no seriado adolescente da MTV. Gostei também que apareceu o casal gay que moraram na casa, foi bem interessante. E aquele loiro que encheu a mão pegando a mala do Ben? O massa foi os gays falando que NÃO IA SAIR DA CASA porque era deles, e o moreninho REDECORANDO os próprios enfeites, a me poupe. Deu dó da doidinha lá morrer, logo agora poxa.
No cinco também tivemos a Hayden, a bitch aluna de Ben que morreu e voltou do além pra matar o cachorrinho no microondas, que não morreu.
Gente, estou adorando o Tate (Evan Peters), achei que de assassino preferido só existia o Dexter, mas o Tate é um amor de personagem, todo sinistro e problemático, querendo ajuda mas mesmo assim faz coisas erradas, não me surpreendo do Ben querendo largar seu caso. A morte do Tate foi bem lindo e dramático em Piggy, Piggy, os policiais atirando nele, enfim foi confirmado que ele era filho de Constance e irmã da doidinha, fazer o que, família de loucos. Foi bonito também quando a Juliet queria se matar e o Tate foi lá salvá-la.
E Mais:
– Meia boca foi a historinha do Homem-Porco, tentou assustar mas foi um pouco clichê. Lembrou mesmo foi Blood Mary, na 1° Temporada de Supernatural.
– O mais bizarro ainda e que várias pessoas ainda não sabe, é que as pessoas morrem, mas as almas continuam perambulando pela casa.
Não vai demorar muito, mas depois faço a review do 1×07.
Vejam as minhas notas de todos os episódios:
1×01- 10
1×02- 8.8
1×03- 9
1×04- 9.4
1×05- 9.7
1×06- 9.6
Tá vendo o tanto que a série é perfeita? Tá esperando o que? Assistam American Horror Story!
@ipcs_