Arquivo da categoria: Cartel

Review – Breaking Bad, S04E07 – Problem Dog

A casa de Jesse já não tem mendigos, viciados e lixo por todos os lados. Isso é um bom sinal, certo?

Logo de início já fui enganado: quando vi o carro sendo lavado imaginei que a Skyler ia deixar o Jr. ficar com ele! Não sei como caí nessa.

Depois tivemos o prazer de ver Walter fazendo drift em um estacionamento vazio e “encalhando” o carro. Fato que o leva a POR FOGO e consequentemente explodir o veiculo, tudo isso enquanto pede por um táxi, na santa calma do mundo. Dá pra imaginar que o Walter cuidadoso e meticuloso do início da série ia se tornar esse badass que é hoje?

Depois vemos Saul limpando a sujeita de Walter e os dois conversando sobre uma maneira de matar Gus. Depois de algumas idéias não muito boas, Saul acredita que Jesse seria a melhor pessoa para realizar o trabalho. Já na casa de Jesse e depois de um pouco de conversa, o garoto acaba dizendo que fará o serviço.

O lava-jato já está em mãos da família White e junto dele um pequeno problema: Walter ganhar muito e Skyler levaria anos para “lavar” todo o dinheiro.

Walter colocando grande responsabilidade nas costas de Jesse com o pó-do-diabo que será usado pra matar Gus, assim como foi usado para tentar matar Tuco. Acho isso bom pro Jesse. Ele fica focado e para de fazer merda quando tem algo desse porte por fazer. (E que cigarro é aquele que sacode e sai todo o fumo de dentro? Com os meus não acontecem isso).

Jr. leva Hank ao Pollos Hermanos e rola toda aquela falsidade entre os dois e Gus. Depois de pedir um refil ao gerente, Hank guarda o copo que contem suas impressões digitais.

E a diferença de Gus no Pollos Hermanos pro Gus no escritório-no-meio-do-nada? a simpatia e a seriedade respectivamente. Baita personagem, baita ator.

Já na reunião com o cartel não deixo de mostrar toda minha admiração pela cena. O cenário, os quadros de filmagem, Jesse completamente nervoso sobre por ou não o veneno no café, a confiança de Mike ao dar uma arma pro garoto, a autoconfiança dos integrantes do cartel e a negociação em espanhol. Achei completamente genial. E o que o cartel realmente quer? Heisenberg, eu diria.

Mike, o professor do crime, sempre dando uma dica ou outra pro Jesse. Confesso que acho linda a relação entre os dois. Completamente “não-esclarecida” e ainda assim leal. O próprio diz que se Gus tivesse que resumir o que vê em Jesse em apenas uma palavra, seria lealdade, só que pelo cara errado.

O auge do episódio: Jesse na reunião dos narcóticos anônimos. Aaron Paul destruindo tudo na atuação e junto disso um roteiro impecável, lindo, suave e pesado ao mesmo tempo. Sentimentos que só Breaking Bad me proporcionam.

Pra finalizar Hank vai até seus colegas no DEA e apresenta todo o caso, esse que mantém nosso suposto herói acordado faz tempo. Depois de tudo explicado, temos as armas apontadas para Gus, metaforicamente falando. Não do mesmo jeito que Jesse podia ter feito no fim da reunião com o cartel, no escritório mais escondido do Novo México.

Anúncios