Arquivo da categoria: FX

Review – Louie 2×12- Niece / 2×13 – Airport / New Jersey

No episódio Niece, Louie recebe a não desejada visita (e estadia) de sua sobrinha, a pedido de sua irmã.


A apresentação impecável da estação de trem me deixou completamente satisfeito com o episódio, assim como nos foi mostrada a estação de metro em algum episódio anterior. Só isso já me bastou, eu realmente acho muito lindo toda a edição de arte e fotografia da série inteira.

Quanto a trama do episódio: A sobrinha adolescente, chata, rebelde. Aquela coisa de menina de 13 anos, completamente fechada com o mundo.

Louie em tentativa de uma melhor relação com a menina começa a levá-la a lugares de New York, e até em um show do comediante, mas a menina fica mesmo impressionada com o show de um dos colegas de Louie, que tem filha da mesma idade da menina e consegue conversar tranquilamente com a sobrinha.

Depois de sair da casa de shows Louie se descontrola e fala sobre o pai da menina ter-la abandonado e já em casa recebe uma ligação falando que a mãe da menina está no hospital, na Philadelphia. Louie resolve cuidar da menina enquanto isso.

Depois do fim do episódio fomos contemplados com mais uma cena na estação de trem, mostrando toda a excentricidade de algumas das milhares de pessoas que passam por ali todo dia. Pura arte, eu diria.


No season finale:

Depois de um show e de algumas tentativas frustradas de comer alguém, Louie está indo embora quando percebe que um carro buzina para ele, ao perceber que é uma bela loira, que o convida a entrar e diz que mostrará sua vagina para ele. Mesmo confuso acaba entrando. Acaba descobrindo que se trata de um casal de swingers,ao chegar na casa da mulher e após relutar contra idéia é convidado a se retirar, até ai tudo bem, coisas que sempre acontecem com Louie mesmo.

Louie perdido pelas ruas escuras da terrível cidade de Jersey acaba recorrendo a sem amigo, o ilustríssimo Chris Rock, que o busca apesar de sua mulher dizer para que não saia de casa. Chris aconselha que Louie cresça e que pare com esse tipo de imaturidade que sempre o guia para as piores situações.

E então a parte triste: Pamela está indo embora, PRA FRANÇA! Tentar se reconcilhar com o pai de Serge. Que pena, eu ia achar muito lindo os dois juntos, mas como a própria diz, sem chances. As cenas do aeroporto foram impecáveis. A atuação de Pamela Adlon também, que belo personagem, tipicamente novaiorquina.

Louie choramingando foi de partir o coração e nos segundos finais, quando Pamela já estava longe vimos ela abanando Louie e dizendo “wave for me”, Louie por sua vez entende “wait for me” e fica completamente esperançoso esperando a volta da donzela. (mesmo depois de ter ouvido ela dizer que não voltaria e que deveria esquecê-la).

E que venha a próxima temporada!

Review – Louie, S02E011 – Duckling

Comecei o episódio dando boas risadas com o stand up de Louie, como sempre. Mas nunca imaginei que estaria por vir um episódio tão triste e real. Entre mais alguns sentimentos que ainda não sei quais são.

Vimos Louie pegando as filhas na escola e junto delas uma caixa com alguns patinhos. Um dia antes de sua viagem para o Afeganistão. Depois de chegar em casa e já no momento de por as filhas para dormir a menor pede para ficar com ao menos um dos patinhos, pede infinitamente, mas Louie não deixa. Por outro lado a filha mais velha pergunta se não é perigoso viajar para um país onde se concentra uma guerra, Louie diz que não.

Já no Afeganistão, Louie e outros artistas são recebidos pelas tropas americanas e devidamente guiados à suas instalações. Louie ouve um barulho vindo de sua mala e acaba encontrando um dos patinhos dentro dela. Um presente da filha mais nova que ainda escreve em um bilhete que o bichinho vai mante-lo seguro. O frágil animal é então posto dentro da mochila do comediante.

Vimos algumas apresentações e a socialização dos soldados com os convidados, tudo muito real, muito bem feito, foi ai que o episódio começou a me tocar. Então comecei a torcer para que tudo aquilo que me estava sendo mostrado fosse real, e não é que era mesmo? No fim do episódio os créditos deixam a entender isso.

Voltando ao episódio: Louie sempre dando investidas completamente fracassadas em qualquer mulher do planeta. Dessa vez uma cheerleader que também estava se apresentando para as tropas.

Louie e os outros artistas voam para outros pequenos abrigos no meio do nada e fazem seus shows lá também. Conseguimos notar que apesar das tropas serem americanas, os acampamentos são meio precários. Logo ao descer no tal acampamento os soldados são avisados pelo rádio sobre um ataque e Louie como um belo cagão se esconde rapidamente.

Lembrando que durante todo o tempo Louie mentem o patinho dentro da mochila e cuida dela como se fosse uma filha (ou até melhor).

Depois dos artistas executarem seus devidos shows o helicóptero volta para pega-los e já na volta ocorre um problema técnico, fazendo com que o piloto execute um pouso de emergência. Parados no meio do nada, Louie, os artistas e alguns soldados são encontrados pelo povo local, que anda armado. Então uma confusão se estabelece e os soldados tentam fazer com que os civis larguem as armas, não obtendo sucesso. Louie assustado larga a mochila no chão e o patinho consegue sair. Ele corre atrás do patinho tentando pega-lo e acaba caindo, fazendo que soldados e civis caiam na risada e que os ânimos se acalmem. Depois de algum tempo de interação entre os dois lados outro helicóptero chega com ajuda e Louie entrega o pintinho para uma menina que estava junto.



Esse episódio foi bem importante pra mim, passei a respeitar Louis CK mais ainda (como se ele precisasse do meu respeito). Achei tudo muito tocante. Sempre fui um admirador das tropas americanas e de todo esse patriotismo (exagerado) do país. É errado (ou não), vai saber… mas eu acho bonito, e nada melhor que juntar essa história de bravura com a bela comédia que a série nos oferece. E ainda por cima os créditos finais nos mostram que a idealizadora de todo o episódio foi uma das filhas de Louie.

Review – Louie 2×09 – Eddie

Gente! Que episódio triste. Louie tem sim um toque de drama, mas nada comparado ao que teve em “Eddie”.
Depois de uma apresentação de stand up, Louie reencontra um antigo amigo, fazia cerca de vinte anos que os dois não se viam. Eddie era amigo de Louie no início de sua carreira e por conta do destino (?) acabam se separando, Eddie viajava pelo interior com suas apresentações e Louie permanece em Manhattan. Coisa que faz com que os amigos percam contato.
Desde a introdução de Eddie no episódio imaginei que o propósito da visita era uma despedida e que o mesmo ia se matar, afinal, vemos o personagem desesperançoso com a vida.
Louie e Eddie resolvem ir ao Brooklyn para participar de um open mic e depois de Eddie se apresentar, decide contar para o amigo que iria se matar em pouco tempo. Louie tenta fazer com que o Eddie mude de idéia, porém percebe-se que já não se pode mudar o pensamento do amigo.

Um belo episódio, com uma bela fotografia, os cenários da série são tão exêntricos e bonitos, que até um clube de comédia decadente me cai bem aos olhos.


@meadowlands654