Arquivo da categoria: Glee

Review: Glee 3×09 – Extraordinary Merry Christmas (Fall Finale)


Não seria Natal sem o Chewie.

Acabou que nem teve ele, só uma sequência de ações em preto e branco, músicas extremamente natalinas e Kurt mostrando que realmente é a mulher da relação. Sinceramente, nunca tive dúvidas.

A questão é que eu gostei em partes do episódio. No geral, foi um bom episódio. Porém, não gostei da quantidade absurda de músicas natalinas que usaram e o tanto de piadas óbvias e sem graça que usaram durante toda aquela sequência. 

Eu sei que é um episódio temático, mas queria mesmo era ouvir o delicioso hino de Stars Wars. Como um ótimo fã, queria muito que eles realmente mostrassem MUITAS referências aos filmes, mas o que ganhei foi só Finn e Puck cantando Bruce Springsteen de Luke Skywalker e Han Solo. Tudo propaganda enganosa.

Gostei de quase todas as apresentações, tirando Mercedes cantando Mariah Carey e a música que Blaine e Kurt cantaram juntos. Ano passado fizeram praticamente a mesma apresentação. A única diferença é que a música do ano passado, a parte de Kurt era, de fato, de uma mulher.

Adoro o Natal também, concordando com Sue, pois meus queridos nuggets conseguem trabalho como ajudantes do papai noel. Sempre apareço no shopping e tiro fotos com eles, já que são muito fofos e adoro o formato do corpo deles.

Perceba que desde a segunda temporada Sue vira bipolar em alguns episódios, como aconteceu nesse especial de Natal. Desnecessário dizer que achei muito válido ela mostrar que o mais importante é ajudar o próximo, e não participar de um especial de TV com um orçamento de somente 800 dólares.

Por que no final, é assim que Glee quer ser reconhecida: uma série que ajuda os outros e consegue lidar com assuntos considerados delicados com muita música e diálogos bonitos. Queria muito falar mal do Finn, mas nesse episódio, PQP, como não achar bonitinho ele vender a jaqueta no E-Bay só para comprar uma estrela para ele mesmo e um par de brincos para Rachel, só para ela trocá-los depois? Coisa linda demais.

Mas pensando no geral, foi bom todos se juntando naquele especial. Acabei querendo fazer parte daquela reunião, só para ensinar Rory como que fala inglês. Entendo que foi por causa dele que todos entederam qual é o verdadeiro significado do natal, mas qualquer outro poderia ter lido aquela história. Sem contar que é muito aleatório começar uma storyline com Sam, considerando que o último possui mais história com qualquer outro integrante da série.

A verdade é que Damião é um personagem tão dispensável, mas tão dispensável, que tenho certeza que ele fez teste do sofá com titia Murphy e só por causa disso que ele foi o ganhador do The Glee Project. Se bem que até no sofá ele não deve ter ido muito bem, o que me leva a concluir que Ryan Murphy estava numa seca e estava aceitando qualquer um que aparecesse.

Músicas no episódio:

Extraordinary Merry Christmas” – Original: Blaine (Darren Criss) e Rachel (Lea Michele)

Christmas Wrapping” – The Waitresses: Brittany (Heather Morris)

Blue Christmas” – Elvis Presley: Rory (Damian McGinty)

Let it Snow” – Vaughn Monroe Blaine (Darren Criss) e Kurt (Chris Colfer)

River” – Joni Mitchell: Rachel (Lea Michele)

All I Want for Christmas Is You” – Mariah Carey: Mercedes (Amber Riley)

Santa Claus Is Coming to Town” – Bruce Springsteen: Finn (Cory Monteith) e Puck (Mark Salling)

My Favorite Things” – The Sound of Music: Rachel (Lea Michele), Mercedes (Amber Riley), Kurt (Chris Colfer) e Blaine (Darren Criss)

Do They Know It’s Christmas?” – Band Aid: New Directions


@marcoacpontes

Review: Glee 3×08 – Hold On To Sixteen


Terceira temporada com gostinho de primeira.

Acho que agora é unamine que Glee está de volta aos trilhos, de maneira belíssima. Talvez foi porque o episódio foi delicioso, mas todo mundo deve ter terminado de assisir essa coisa suculenta e começado a sentir saudade precoce daqueles que vão embora no final da temporada.


Verdade seja dita, a temporada estava péssima. Mesmo com bons episódios (3,5,7), ainda faltava alguma coisa. Percebi finalmente o que era: elementos cruciais que existiam na primeira temporada mas que de alguma forma, faltaram nas outras. Ou seja, acho que veremos uma segunda parte da temporada bem, beeeeem melhor do que foi essa primeira. Eu espero mesmo.

Perceba que os episódios das competições sempre possuem um tempero dramático. Aqui, tudo girou em torno de Quinn com o plot ‘eu quero ser adulta mas vou fazer a professora ser despedida’. Acho que os roteiristas finalmente encontraram um final para toda essa encenação que ela estava fazendo essa temporada. Já não era sem tempo.

Um dos motivos do meu apegamento com o episódio foi a volta do plot de Mike. Tina falou bonito para o japa-pai, e os outros diálogos, mesmo não terem sido tão bons quanto os de Tina, me deixaram bem emocionado.

Irritantemente, o novo gay Sebastian ainda está urubuzando Kurt para pegar Blaine. Sinceramente, não vejo a graça. Tirando a parte que ele sabe como lutar box, Blaine não tem mais nenhum outro atativo. Pelo menos pararam de jogar TODOS os solos na boca do cara.

Sem contar que Finn ficou dando um discurso, falando que se sentia ameaçado por Blaine e que ele o fazia questionar se ele era bom mesmo. Ops, não precisamos da presença de Blaine para sabermos que ele não é bom, sem contar que Finn deveria se sentir ameaçado por todos, e não só por Blaine. Finn é tão inocente e burro que achou que aqueles homens, de fantasia, em um bar, cheio de mulheres velhas com decotes, faziam parte de um novo musical. Claramente ele precisa sair de casa mais vezes.

Infelizmente, Will e Emma ainda continuam só passeando pelas cenas, porque atuar ou ter diálogos que é bom, nada. Acharia bem melhor se os dois saissem no final da temporada também. Tenho que comentar também, sobre os vencedores suculentos de The Glee Project. Depois desse episódio, temos certeza absoluta que titia Murphy percebeu que Damião não tem nenhum talento e podia muito bem usar aquelas caras estranhas que ele faz todo episódio para outra coisa.

Lindsay, por outro lado, que não foi a ganhadora OFICIAL do reality-show, conseguiu, de alguma forma, pensar que o clube iria perder mais uma vez. Claro que eles não iriam, já que com certeza esse ano será o ano da vitória, mas pela escolha de música…. Credo. Gosto do Michael Jackson antes e depois de ficar branco, mas podiam muito bem ter usado uma música melhor.

Talvez essa foi a ideia dos roteiristas: colocarem o New Directions com a pior música para tentarem nos fazer acreditar que eles iriam perder. HAHA, não mesmo, pegadinha do malandro isso, todos sabiam qual seria o resultado.

Fiquei com saudades da voz e do nariz de Rachel durante as apresentações, mas o episódio funcionou muito bem, até mesmo com ela tentando dar conselhos para Quinn e sendo falsa, falando que eram amigas. Por outro lado, queria ver mais interação entre Puck e Shelby, nossa eterna Bruxa Má do Oeste.

Claro que não poderia não comentar sobre a volta do loiro oxigenado Sam, o boca de peixe. Ele voltou geral, até comprando briga com o namorado de Mercedes, que virou fantasma, já que não aparece tem uns 5 episódios. Não consigo entender até agora o que Blaine estava reclamando. Devia deixar Sam fazer aquele ‘passinho’ de macho durante a apresentação, tenho certeza que (quase) todo mundo ia deixar.

As melhores apresentações foram das músicas “Survivor/I Will Survive” das Telettubies, com Santana e Mercedes mostrando que mesmo reclamando toda hora da exclusão social, ainda cantam muito bem; “Man in the Mirror” e “We are Young”. Gostei também do maior destaque que Tina teve nesse episódio e é algo que espero ver mais no futuro.

Depois de um episódio assim, mostrando que todos precisam lutar ao máximo para viver no momento, continuar criança e parar de tentar roubar os bebês dos outros, tenho até medo de ver a Season Finale. Com certeza, será bem difícil dar goodbye para vários personagens.

Músicas no episódio:

“ABC” – The Jackson 5: Tina (Jenna Ushkowitz), Kurt (Chris Colfer), Mike (Harry Shum Jr.), Quinn (Dianna Agron) e New Directions

“Control” – Janet Jackson: Quinn (Dianna Agron), Blaine (Darren Criss), Artie (Kevin McHale) e New Directions

“Red Solo Cup” – Toby Keith: Sam (Chord Overstreet), Finn (Cory Monteith), Rory (Damian McGinty) e New Directions

“Survivor / I Will Survive” – Destiny’s Child / Gloria Gaynor: Santana (Naya Rivera), Mercedes (Amber Riley) e The Troubletones

“We Are Young” – Fun: Rachel (Lea Michele), Finn (Cory Monteith), Quinn (Dianna Agron), Mercedes (Amber Riley), Sam (Chord Overstreet), Santana (Naya Rivera) e New Directions

“Buenos Aires” – Evita: Harmony (Lindsay Pierce) e The Unitards

“Man In The Mirror” – Michael Jackson: Artie (Kevin McHale), Finn (Cory Monteith), Sam (Chord Overstreet), Puck (Mark Salling), Blaine (Darren Criss) e New Directions

@marcoacpontes

Review: Glee 3×07 – I Kissed a Girl

O trenzinho da alegria.



Finalmente tivemos umclímax para o problema de Santana. Não é de fato um problema esim, uma necessidade de fazer safadeza com Brittany sem precisar serescondida. A questão é que a série sempre consegue lidar muito bemcom a questão dos homossexuais (Ryan Murphy, oi?) e com isso, tudofica mais divertido.


Entretanto, foi bemprevisível que a pessoa que Santana mais ama não iria aceitá-la deprimeira. Não tenho dúvidas, porém, que o motivo pelo qual elaficou desconfortável quando a neta disse a verdade é porque, naverdade, a velha é lésbica também.


Quando pensamos nosúltimos episódios, vemos que foi totalmente coerente Rachel dar aLoka e enfiar mais de 100 cédulas na urna da eleição. Tinhacerteza que Kurt não iria fazer isso e muito menos Finn, óbvio. Sófaltou então para a safadinha, que claramente não terá muito usonos próximos episódios. Estou achando super desnecessário que emtodos episódios tem o momento ‘Derrota do Glee Club’. Isso já estáficando falho. Sabemos que esse ano o clube vai ganhar tudo, já queano que vem alguns dos personagens não voltarão.


Achei incrível queRachel realmente achou que Kurt iria atirar em Brittany e tenhocerteza que ela iria fazer isso sem pensar duas vezes. Santana estavaextremamente má nesse episódio, com a outra personalidade, Snixx,que provavelmente é a personalidade dominante dentro do corpo, semcontar que Finn tentou se mostrar útil (já que para outras coisas,ele não sabe) durante o episódio e com isso, me fez incluir maisuma coisa na listinha das coisas que ele não consegue fazer.


Gostei do destaque quederam para Beiste durante o episódio, menos da apresentação de“Jolene”. A voz dela não é feminina para uma música dessejeito. Felizmente, ela ainda consegue ser sexy mesmo comendo 3animais em uma refeição só.


Não queria que Pucktivesse dito para Quinn sobre o relacionamento com a Bruxá Má doOeste. A história dos dois já não é muito desenvolvida, só nesseepisódio que teve algum bom desenvolvimento (e que desenvolvimento)e já estão tentando atirar pedras nos dois? Desnecessário dizerque fiquei com muita dó quando Puck foi expulso da casa de Shelby.Será que ele é tão ruim na cama que já na primeira oportunidade asafada o manda embora?


Pensando no geral, claroque todos gostaram de “I Kissed a Girl” e além do mais, nãogostaram de “Girls Just Wanna Have Fun”. Eu discordo. Claro quecom Girls, Cory (Finn) mostrou novamente que não consegue cantar,mas a versão ficou boa, levando em consideração que a intençãonaquela cena era emocionar e não fazer uma festa com roupascoloridas, botas e mechas divertidas no cabelo.


Quinn é tão burra quedepois daquela super briga semana, ela achava que Puck estariacantando a música para ela. Além do mais, para provar que ela ésuper instável, queria fazer outro bebê com o mesmo, como se dessavez isso fosse funcionar.

Músicas no episódio:

“Perfect” (Pink) – Kurt (Chris Colfer) e Blaine (Darren Criss)

“I’m the Only One” (Melissa Etheridge) – Puck (Mark Salling)

“Girls Just Wanna Have Fun” (Cindy Lauper) – Finn (Cory Monteith)

“Jolene” (Dolly Parton) – Beiste (Dot Marie Jones)

“I Kissed a Girl” (Katy Perry) – Santana (Naya Rivera), Rachel (Lea Michele), New Directions Girl’s e The Troubletones

“Constant Craving” (K.D. Lang) – Santana (Naya Rivera), Shelby (Idina Menzel) e Kurt (Chris Colfer)

@marcoacpontes

Fotos e Vídeos Promocionais: Glee 3×09 – Extraordinary Marry Christmas

                             Click to view full size image

Foram liberadas pela FOX fotos e vídeos promocionais do próximo episódio de Glee.


Vídeo Promocional:




Fotos Promocionais:





Click to view full size image



Click to view full size image

Click to view full size image

Click to view full size image

                                                       

Fonte: Poptando | Gleek Brasil

Review: Glee 3×06 – Mash-Ups


É isso que acontece quando tito Murphy volta de férias…


Um episódio para ninguém (além de mim mesmo) colocar defeito nonegócio. Claramente até o quinto episódio Ryan Murphy haviadeixado a direção da série nas mãos de estagiários, que achavamque estavam em uma nova produção com maior orçamento da Broadway.


Não estou sendo contraditório: Realmente amei o momento Broadwayque a série teve no começo do ano, sem contar que ainda foram asmúsicas do Westside Story, que é um dos meus musicais favoritos.Vendo esse episódio, confesso que senti falta de músicas (meio)atuais e sinto que esse é o caminho que Glee precisa seguir.


Claro que Glee agora está tentando se tornar mais relevante.Principalmente por causa dos plots bem dramáticos que andam rondandoLima. A série pode não ser boa em muitas outras coisas, mas um temaque sempre consegue abordar de maneira interessante é ahomossexualidade. Deve ser porque a série foi criada para o grupoespecífico, mas mesmo assim, eles sempre acertam.


Seria óbvio que Finn uma hora iria cansar de ser chamado de baleia,péssimo EM TUDO e se revoltaria. Pena que quando ele finalmenteresolveu virar macho, levou um tapão de Santana, que mostrou que émais lésbica do que aparenta.


Gosto muito da Naya Rivera e ela roubou o show essa semana. Claro quenão é todo mundo que vai amar essa nova situação, mas o que valeé que ela finalmente está saindo da zona de comforto e quem sabefinalmente vai dar uns amassos na Brittany, que obviamente foi aestrela das Telettubies quando decidiu que a campanha eleitoral deMercedes não estava boa já que não tinha cartazes e coisas dotipo. LINDA!


Não estou gostando de como Sue está se comportando esses dias. Umahora ela quer destruir o clube, quer aparar os cabelos sebosos deWill, quer usar toda a verba da história para novos pom-pomscheirosos e outra hora quer ser amiga e totalmente solidária. Alémdo mais, ela fez isso bem na frente de Burt e Will. Tem como piorar?


Sem contar que o debate veio em boa hora, já que Kurt estava quaseganhando o prêmio de personagem mais boring. Rachel também é umaboa candidata para o prêmio. Finalmente eles fizeram as pazes, massério, qual foi o motivo da Rachel entrar na disputa? Ela já tinhapraticamente tudo para entrar na faculdade, precisava se submeter àoutra humilhação? Pois, convenhamos, ninguém ia votar nela.Confesso, porém, que o discurso de Kurt foi emocionante e soltei um’legal’ enquanto via.


Uma coisa muito mais interessante que aconteceu no episódio foi onovo relacionamento sério de Puck. Ele fala que é adulto, masprecisou de uma lista de razões para os dois ficarem juntos. Semcontar que né, aquela apresentação foi fodástica. Puck está Hotfor Teacher e eu estou Hot for Puck. Quero muito que essa storylinese desenvolva legal e que não tenha um final ou meio tão clichêassim.


As outras apresentações foram perfeitas, principalmente o Mash-Upde Rumor Has It e Someone Like You feito pelas Telettubies. Aliás,Lady Gaga? Quem se importa com ela quando temos a Bruxa Má do Oestecantando igual uma Deusa (como sempre) para todo mundo ficarapaixonado? Bom, tinha o Will lá também…. Mas ele só atrapalhoumesmo.

@marcoacpontes

Review: Glee 3×05 – The First Time


Tito Murphy chocando qualquercomunidade, seja lá qual for a sua.

Convenhamos que esseepisódio foi feito para fazer muita polêmica. Porém, sabemos que omotivo de tanto falatório sobre “The First Time” é por causa deum casal que perdeu a virginidade. E além do mais, é um casal gay.Duvido que se fosse somente Finn e Rachel causaria tantas tentativasde boicotes.

O que mais me impressionana série é que mesmo o restante dos plots não sendo interessantese muito menos divertidos, de alguma forma, Ryan Murphy consegueacertar quando se trata do relacionamento entre Blaine e Kurt.Entretanto, o episódio foi bem coerente e não foi polêmico deforma alguma. Na verdade, foi bem contido.

O mais interessante éque Finn e Rachel possuem o relacionamento mais sem graça e broxantedo mundo. Até Puck tinha certeza que aquela conversa de camisinhaera porque ele estava traindo a Rachel. Super válido, na verdade. Eutambém pensaria isso se ele viesse me perguntar algo do tipo.

Foi o segundo episódionessa temporada no qual os plots dos coadjuvantes foram bem maisinteressantes do que os dos principais. Tirando Blaine e Kurt, claro.O mais tocante foi o da treinadora Beiste, que não se tocava demaneira alguma que o carinha também estava afim dela e ainda levouna cara quando o mesmo falou que ela é extremamente bonita. Acho queautoestima é uma coisa que falta até demais nela, mas tudo bem.

Por um momento, achei queKurt ia acabar deixar rolar a penetração por causa do novoamiguinho de Blaine, o Sebastian, o espírito lívre que ‘terminou’com a alma gêmea dele após 20 minutos. Esse é um dos meus. Porém,tirando isso, não vejo ele trazendo nenhuma ameaça aorelacionamento dos dois.

O casal está muito bemcentrado, principalmente depois dos acontecimentos desse episódio.Claro que algumas coisas aconteceram por causa de Sebastian, mas nofuturo, não há nem como ele tentar causar entre o casalzinho porque os dois estão tão firmes agora. Principalmente depois dafornicação.

Em relação aos númerosmusicais, não tenho do que reclamar. Fizeram um bom trabalho com aminha música favorito de West Side Story, “A Boy Like That”,além de mostrar mais uma vez as habilidades vocais deliciosas queSantana tem. Acho que se os haters conseguiram passar por esseepisódio sem pular as apresentações, é porque finalmente foramvacinados contra burrice, já que todas as músicas de West SideStory são ótimas!

Fiqueifeliz porém, que agora é um episódio à menos para Damião. Ouserá que aquilo não conta como episódio? De qualquer forma,tivemos até a participação (pequena, porém importante) doKarofsky, bem mais charmoso do que o normal e de Will Schuester.Confirmo que não senti falta do cabelo ceboso até ele aparecer naplateia do lado de Emma. Não notei e não fez falta alguma.

Achei tão patético Finnficar se fazendo de ofendida pois estava sendo usado por Rachel parase satisfazer na peça. Se eu fosse ele, não ficava ridicando sexográtis, principalmente do jeito que as coisas estão acontecendo:além de não saber dançar, cantar, atuar, chorar, andar, beijar,transar, ser um bom irmão, viver, ainda descobre que não sabe jogarfootball. Claramente ele devia se manter fiel à verdadeira vocação:falar com Jesus por meio do GRILLED CHEESUS!

Músicas do episódio:
“Uptown Girl” – Billy Joel (Warblers)
“A Boy like That” – West Side Story (Rachel, Santana)
“America” – West Side Story (Tina, Santana, Rory, Puck)
“One Hand, One Heart” – West Side Story (Rachel, Blaine)
“Tonight” – West Side Story (Rachel, Blaine)

@marcoacpontes

Frases: Acompanhe Frases da Série Glee

Para os Fãs da serie Glee relembre algumas frases e diálogos ditos pela turminha mais querida do publico jovem atualmente.


Sam: “Semana passada ela acreditou num pente mágico.”

Brit: “Estou paralisada de medo.”

Puck: “Você é um anjo?”

Lauren: “Vá se ferrar!”

Holly: “Oi, Eu sou Holly Holly Day.”

Terri: “Isto é nome de Drag Queen ou de Atriz pornô?”

“Pior que ser pobre é ser desconhecido.” (Rachel)

“Não sonhe, seja.” (Mercedes)

“Eu tenho uma prova de espanhol na qual uma de suas líderes de torcida escreveu o nome errado e desenhou um sombreiro como resposta.” (Will)

Aguardo ansiosamente pelo dia em que os paparazzi me provocam e eu os ataco.”(Rachel)

Estou tão deprimido que vesti a mesma roupa duas vezes essa semana.” (Kurt)

“Odeio pessoas com queixo-bunda.” (Sue)

“Seu marido está escondendo sua salsicha em um saco de presente que não é seu… eu acho que você deveria fazer as malas e sair do bairro – a menos que você queira perder seu homem para uma doente mental, um pequeno pigmeu com olhos galago.” (Sue)

“Tudo o que eu quero é somente um dia no ano onde eu não seja agredido visualmente por feios e gordos. Sério, Ohio, essas retinas precisam de folga.” (Sue)

“Fazer parte de algo especial, nos torna especial.” (Rachel)

“Tudo o que eu sempre quis foi me sentir especial, escolhida… Obrigada por me darem isso.” (Rachel)

“Eu sempre me senti a garota que nunca dá o braço a torcer.” (Rachel)

“Alguém já morreu no palco… literalmente?” (Kurt)

“Você quer saber como essa história acaba? Eu fico com o Finn, você com um coração partido.” (Quinn)

“Ora, se não são Twiddle-Burra e Twiddle-Peitos-Falsos!” (Sue)

“Poderia parar de me encarar? Não consigo lembrar a senha do meu armário!” (Santana)

“Rainhas do baile vivem em média cinco anos a mais que pessoas comuns. Provavelmente porque elas sorriem mais.” (Quinn)

Me preocupo com o Finn. Quer dizer, quão desesperado um garoto tem que estar pra ficar com alguém tão irritante como a Rachel?” (Quinn)

“Como você achou um cobertor xadrez retro pra gaiola de um passarinho?” (Blaine)

“Isto foi à coisa mais ofensiva que eu vi em 20 anos de ensino. E isso inclui a produção escolar de “Hair.” (Sue)


Follow- Me : @Tatamara25

Review: Glee 3×04 – Pot O’ Gold


Mais do mesmo…


Glee volta depois de umenorme hiatus com a tentativa de continuar causando. Eu entendo queuma série precisa de conflitos, mas esses conflitos precisam sersempre os mesmos? Como sempre, alguém tentou separar o coral.Santana foi totalmente macabra pois só conseguiu fazer com queBrittany fosse junto para os Teletubies por causa do menino Damião,que virou um leprechaun, pois claramente ele é mágico, já que veioda Irlanda.


O grande feito doepisódio foi trazer finalmente um dos vencedores de The Glee Projectatuando na série. Não sei o que foi pior: Damião cantando ouatuando. Ele é adorável e só. Até precisei de usar legendas nesseepisódio pois não estava entendendo nada que saia da boca deletambém. O plot que mais vai pra frente, PASMEM, é o pai de Kurt terse candidatado também ao cargo e com isso um embate entre ele e Sueserá delicioso.


Tudo começou, porém,quando ele descobriu que Sue estava tentando dar um fim à produçãodo musical. Burt decidiu que já era o bastante. Ninguém vaiatrapalhar a produção do musical favorito do filho. Isso que é sersolidário.


Como sempre, Brittany foia salvação do negócio com as frases mais lindas e inteligentes domundo. Não seria ótimo se os gatos começassem a cagar chocolate?Ninguém ia saber a diferença, com certeza.


Todo aquele drama comQuinn querendo a baby está meio desnecessário. Ela alega que todomundo tem alguma coisa e ela não tem nada. Se esse é o problema,uma ida ao shopping resolveria e seria bem mais fácil. Ela nunca foimoralista, mas isso é simplesmente incompreensível. Se até o PUCKacha que você está indo longe demais, está na hora de repensar oque está fazendo.


Claro que Puck tambémnão é santinho, já que achou uma maneira bem mais fácil deconseguir a filha: fazendo coito com uma mulher BEM mais velha do queele (Na série, pelo menos). O que só me faz pensar que o cara é umgênio. Será que eles vão fugir para Oz e farão bebês Maus doOeste? Se bem que tudo aquilo estava já era certo que iriaacontecer, não foi nem um pouco chocante.


Outra coisa que valeressaltar é que Blaine está liderando os solos com Rachel. Aliás,ele já até conseguiu superar os solos de Rachel, já que nesseepisódio ela só abriu a boca para reclamar da possibilidade de nãoexistir mais o musical. Era bonitinho quando ele estava longe, seapresentando ocasionalmente, mas agora que ele está dentro docolégio, nem andar de mãos dadas com Kurt ele faz.


Ah, e tem também osTeletubies, que só possuem quatro participantes. Ou seja, o clubealternativo de Shelby não será bem uma ameaça, pois não énecessário ter tipo uns 12 participantes para participar de algumacompetição? Ou os roteiristas vão convenientemente esquecer dessaregra só para criar uma tensão?


Músicas no episódio:


“Bein’ Great” – Sesame Street (Rory)

“Last Friday Night (T.G.I.F.)” – KatyPerry (Blaine)

“Waiting for a Girl Like You” –Foreigner (Puck)

“Candyman” – Christina Aguilera (TheTroubletones)

“Take Care of Yourself” – TeddyThompson (Rory)

Review – Glee 3×03 – Asian F


ODuelo de Titãs


Foiassim que Puck chamou o grande embate entre Rachel e Mercedes. Desdeo começo, as duas sempre estão em constante confronto, já que ambassão as mais espetaculares da série e mesmo Rachel levando todas eser mais eficiente, Mercedes não fica por baixo. Eu entendo também,o motivo dela ficar com um ego tão ferido, mas do resto, a forma comque lidaram com toda a situação foi vergonhosa.


Pracomeçar, nenhuma das duas podem ficar com o papel de Maria. Nenhumadas duas é soprano. Desnecessário dizer que a forma com que elesdecidiram lidar com a escalação foi ridículo: Rachel e Mercedes nomesmo papel? Sério? E que está acontecendo no colégio… Todomundo vai querer se candidatar à presidente da turma agora?


Seique devíamos nos simpatizar com a pobre da Mercedes, mas não colou.Ela estava insuportável nesse episódio, não deu para sentir penadela. Fiquei com raiva, porém, do momento da verdade sobre quemficou com o papel, em que a treinadora, Artie e Emma pisaram nasnossas caras ao ficarem calados quando Mercedes confronta Rachelsobre ela ter se saido melhor. Todo mundo acha que Rachel é tãoperfeita, mas até a própria Rachel sabia que Mercedes havia seapresentado melhor.


Chegade reclamações. O episódio foi ótimo e foi um dos melhores dasérie. Mesmo dando muita atenção ao conflitro de Mer e Rach,nenhum dos outros personagens apareceram para atrapalhar odesenvolvimento da melhor história EVER de Glee: Mike Chang Jr comsua mãe nada asiática. Tinha certeza que quando ela apareceu e viuo filho dançando, iria dar uma lição de moral e falar pra ele irlogo decorar a tabela periódica. Nunca um asiático iria falaraquilo pro filho e ainda dançar com ele. De qualquer forma, foilegal ver Mike tendo um destaque maior na série. Sem contar que aapresentação dele foi um tesão.


Osnúmeros musicais continuam ótimos e adorei eles terem colocado maisseleção de DreamGirls. Mercedes fez muito bem durante a músicaIt’s All Over, sendo uma das partes mais tristes do musical. A partede Emma também foi bem usada durante o episódio, principalmentequando descobrimos que os pais dela são muito, muito racistas e atéclassificam os ruivos como uma outra espécie. Não concordo com issoe eu não gosto de pessoas ruivas. Os pelos pubianos deles sãovermelhos.


Gosteide ver mais da relação de Will e Emma e gostei também da parte emque ele vira macho novamente, botando ordem na própria casa. Nãosinto uma química entre os dois, porém. Uma das coisas que esquecide comentar nas reviews passadas, é que nesta temporada, tito Murphyrealmente quer tirar o clube do coral da zona de comforto. Jáperceberam? Mercedes agora vai pro clube de Shelby, trazendo novasdinâmicas e – espero – grandes apresentações com a Bruxa Mádo Oeste.


Nãoexploraram a vingança que Kurt planeja para Blaine por ter roubado opapel e sinceramente? Ele precisa mesmo é esquecer aquilo e começara tentar endireitar o namorado, fazendo-o começar a se exaltar menosdurante as apresentações e finalmente tivemos um episídio sem ocoisinha se apresentando. É sorte ou titio Ryan Murphy finalmenteentendeu o problema?


Músicasdo episódio:


Spotlight”- Jennifer Hudson (Mercedes)

Runthe World (Girls)” – Beyoncé (Brittany; Santana)

Cool”- West Side Story (Mike)

FixYou” – Coldplay (Will)

OutHere On My Own” – Fame – O filme (Rachel; Mercedes)

It’sAll Over” – DreamGirls (Mercedes; Kurt; Finn; Puck; Santana; Mike; Will)

@marcoacpontes

Review – Glee 3×02 – I am Unicorn

Quando um pônei faz uma boa ação, ganha um chifre, virando um unicórnio; mas fica fazendo coco de algodão doce até se esquecer que é mágico e perde o chifre. Não, Brittany, você que é o unicórnio sem chifre!

Eu avisei semana passada que esse episódio de Glee iria ser praticamente com músicas da Broadway, então sim, se você odeia musical e músicas lentas, você está certo em odiar esse episódio. O motivo que eu não gostei do episódio (sem contar que é o motivo mais plausível, já que Glee nunca agrada 100% na escola das músicas) foi simplesmente a falta de consistência. Kurt, por três anos, foi um dos poucos personagens na TV que era confortável de verdade com a própria pele. Agora, no meio do nada (como se ele fosse pensar em musicais só agora) ele começa a achar que conseguir papéis de protagonistas héteros na Broadway é mais importante do que aceitar o unicórnio brilhante que ele é. Algo totalmente sem nexo.

Infelizmente, com ele não sendo o protagonista e claramente Blaine (que provalmente é a melhor coisa que aconteceu com Kurt além de ter descoberto o hidrante facial) conseguindo esse papel, o relacionamento dos dois se tornará complicado. Porém, os dois tinham que saber que já que estão estudando na mesma escola, no mesmo grupo de coral, era inevitável que haveria algum momento em que um dos não conseguiria o que queria. Kurt precisa ser uma pessoa amigável e deixar essa passar. Gosto de West Side Story, mas há outras produções melhores.

Brittany, além de ser a melhor dançarina de lá e ainda ter o mesmo nome da Britney Spears, sempre aparece com as melhores teorias do mundo. Só faltava ela chegar com a teoria de que a água do oceano é salgada pois é cheia de esperma de baleias. Pensem direito nisso, faz sentido.

Shelby está de volta com a voz mais potente de Glee. A forma como ela voltou é até aceitável, considerando que ninguém nunca disse um NÃO para Sugar-podre. Além de ter voltado com vontade de consertar as coisas com Rachel, também quer fazer uma Família Moderna com Quinn e Puck. Será que está ficando complicado pagar as contas, então ela precisa de um homem na família?

Além do mais, Quinn decidiu mudar o visual só para conseguir a guarda da filha. Eu realmente tinha achado bem estranho todo aquele momento no ensaio, tinha um pressentimento de que Quinn estava querendo algo mais. Ela só não foi inteligente por ter contado todo o plot superevil para Puck.

O planinho da Sue sobre as Artes é totalmente desnecessário. Gostava bem mais da personagem quando ela tentava acabar diretamente com o Glee Club, e não com todos os Glee Clubs e afins de Ohio. Sem contar que se colocarem Will como concorrente, sabemos que ele não vai ganhar. O cabelo dele é muito seboso.
Músicas do episódio:

“Somewhere” – West Side Story (Rachel e Shelby)
“I’m the Greatest Star” – Funny Girl (Kurt)
“Something’s Coming” – West Side Story (Blaine)