Arquivo da categoria: Grimm

Review: Grimm 1×05/06 – Danse Macabre/The Three Bad Wolves

Oproblema é que ele ainda não consegue ser um Grimm e nem mesmo umpolicial.


Ficomuito frustrado às vezes quando me deparo com vários episódios deGrimm e ainda tenho várias críticas para fazer. O problema é queNick anda agindo como se estivesse tudo bem com a vida, mas ele sabeque é um Grimm, ou seja, um caçador, mas nem correr atrás de umsuspeito ele consegue.

Infelizmenteé uma coisinha insignificante dessas que faz com que a série nãoalcance o seu potencial. Isso e a constante mania de ficarem jogandoa namorada dele nas nossas caras. Ninguém se importa com ela. Noquinto episódio, quando o encanador volta no final do episódio,fiquei morrendo de raiva do velho não ter a matado logo.

Pelomenos, os roteiristas estão dando mais espaço para uma das únicascoisas boas que salva na série. Nosso querido lobo-mau cristão, queesteve em TODAS nos dois episódios. Claro que no sexto episódio eleestava ocupado copulando com a ruivinha de Eastwick, mas enfim.

Batopalmas pela coragem dos roteiristas em terem mostrado os contos dosquais os episódios foram baseados de uma forma nova e diferente. Foilindo os porquinhos indo atrás dos lobos, para variar.

Devodizer, porém, que desta vez, eu não peguei o conto do (quinto)episódio logo de primeira. Só no finalzinho, quando o ratinho filhoficou levando os outros ratos para outro lugar com a música, queentendi que estávamos diante de uma tentativa do conto do Flautistade Hemlin.

Nãofoi explicado como os ratos são tão carnívoros, considerando queos outros garotos não tinham ideia de como os ratos eram. Como elesdecidiram, do nada, comer o professor inteiro?Sem contar que esses ratos foram controlados, depois, por um DJusando uma cabeça de gato.

Gostodo Nick, o motivo todos sabem…. Mas ele é muito mole e tudo ficoumais intensificado nesses dois ultimos episódios. No sexto, eleficou no meio da luta entre a lobinha e o porquinho e mesmo ela quasearrancando o pescoço do porquinho, Nick ainda achava alguma forma deficar calmo e não atirar na louca. Ficou lá, parado, segurando aarma, sem fazer nada.

Opior de tudo foi que, além dele não conseguir ler os livros da tiadireito, ele ainda só vê as imagens e nem sabe fazer o trabalhodireito. Ele achava que só dando aquela estocada nas costas da loba,ela ia morrer? Sério?

Olegal mesmo foi ver um pouco mais da vida de Monroe. Desnecessáriodizer que ele é o melhor personagem da série, e o que foram aquelasfotos no final? Claramente ele badalava muito no passado, o meu tipode gente. Uma das coisas boas de Grimm, que sempre esqueço decomentar, é que tanto Nick quanto os telespectadores estãodescobrindo toda uma nova mitologia juntos, o que é legalzinho.

Obviamenteo sexto episódio foi mais interessante, tirando a parte que acabeide citar. As coisas fluiram mais naturalmente, diferente do quintoepisódio, que ficaram só na questão de luta de classes, com oratinho filho reclamando dos garotos ricos constantemente lembrandoele da profissão insignificante do pai: um exterminador. Porra,ninguém deve, jamais, fazer descaso com os exterminadores. Jáprecisei de um dia e ele praticamente salvou a minha vida. Sereigrato para sempre (Ou até eu esquecer do carinha).
@marcoacpontes
Anúncios

Review: Grimm 1×03/04 – BeeWare/Lonelyhearts

Um episódio mais ou menos e outroepisódio muito bom.


Grimm é facilmente asérie que possui mais potencial para se tornar um sucesso nessa fallseason. Não é pelo fato do detetive Nick ser gostoso, mas pelo fatoque ela possui uma mitologia tão rica e tão extensa que não temcomo errar.


Infelizmente, não foi oque aconteceu no terceiro episódio. Ainda é cedo, mas esse episódiofoi o pior de todos até agora, incluindo o quarto nessa contagem. Umdos problemas com o terceiro episódio, além dos (d)efeitosespeciais, foi o desligamente geral com o conto “The Queen Bee”,no qual claramente o episódio foi baseado.


A única coisa parecidafoi que a abelha estava tentando fazer o bem, ajudando as pessoas, selivrando das loiras vadias por aí. Tirando isso, foi totalmenteestranho. Aquela era a abelha rainha. Porquê então ela precisavausar uma seringa para aplicar o veneno? Ela não consegue produzir einjetar (pelo próprio corpo) ela mesma não?


Tirando isso, o episódioacertou na globalização do negócio, trazendo o velho (contos dosGrimms) com o novo (Flash mob, twitter). Em qualquer outra série, seuma mulher morresse por causa de uma super picada de abelha no meiode um flash mob, pensaríamos que é uma comédia. Em Grimm, a gente(tenta) nem rir do tanto que ela ficou deformada e feia depois doataque. Único momento comédia do episódio foi descobrir que todasas abelinhas são fofoqueiras e ficam conspirando pelas redessociais.


Sem contar que trouxe umagrande indagação: será que eu, Nick, devo protegar a loira vadia,que tentou matar a minha vó, aplicou coisas em mim, ou devo acabarlogo com a festa dela, cortando a cabeça fora? Eu votaria naprimeira opção, mas ele não é muito inteligente.


Agora, todas as minhasfrustações com o terceiro episódio e o rumo das séries acabaram,já que depois deste quarto episódio, desafio alguém falar queainda não se apaixonou por Grimm!


O episódio foi bemamarrado (em termos de Grimm) e trouxe grande desenvolvimento dospersonagens. O parceiro chocolate de Nick, Hank, foi meio burrinho ementrar na casa, mas, até o Lobo Mau foi usado mais no episódio, emaparições mais hilárias do que as últimas. Sem contar que elepraticamente estava indo para o B&B do Barba Azul, para se tornara 7786ª esposa dele.


Obviamente, quem aindanão pegou, o conto da vez foi o do Barba Azul. Não foi distorcidoigual aconteceu no episódio anterior e foi mais fácil de interprtardo que o do segundo episódio. Enfim, eles não poderiam terescolhido conto melhor para o melhor episódio da série até agora.


Tivemos grandedesenvolvimento na parte reapers da série, com o chefe de Nick (Nãolembro o nome dele, alguém dá uma ajuda) mostrando que possuimuitos planos para o futuro, incluindo decepar as orelhas de qualqueroutro reaper que tente entrar no caminho!


O único problema quevejo agora é a namorada avulsa do italiano (Atenção: SPOILERS- Oator tem descendência italiana) que não traz nada interessente paraa série. Acredito que a química está acontecendo, mas não estáacontecendo a ponto de que quando chegar a hora da morte dela,ficarei triste ou preocupado. Não vou me importar e aliás, elapodia morrer logo nos próximos episódios. 

@marcoacpontes

Review: Grimm 1×02 – Bears Will Be Bears


Melhorou, melhorou bastante.


Grimm faz um segundoepisódio bem melhor do que o Piloto, mostrando que tem sim potencialpara se tornar uma série de sucesso, mas ainda precisa trabalharmais um pouquinho. Por exemplo, o protagonista. Não vejo carismavindo dele e a namorada dele também não ajuda. Só está lá pelofator sensual, subindo em cima dele em mesas e coisas do tipo.


Acho que os casos dasemana também deveriam ser melhor desenvolvidos. Duvido que alguémconseguiu sacar desde o começo que estávamos lidando com o conto daCachinhos Dourados e os 3 lobos.


Pasmem, é verdade. Foiesse conto sim que nos foi mostrado no episódio. Claro que foi deuma maneira distorcida, e até com uma presença masculina, poisconvenhamos, como teria a investigação se fosse só uma pessoadesaparecida? Quem daria pela falta?


Dito isso, aprofundamosum pouco mais na mitologia da série, mas ainda não sabemos quasenada sobre a tia e sobre a linhagem dos Grimms. Isso não será umproblema se os roteiristas não ficarem arrastando esse mistério pormuitos episódios. Pelo menos Nick está mais ciente sobre o novoestilo de vida dele, mas obviamente ele precisa começar a estudartudo que tem dentro daquele trailer. Sem contar que o episódio dessasemana teve mais sequências de ação do que o piloto, algo quesempre precisa acontecer.


O vilão principal dasérie também precisa ser mais trabalhado, mas sinto que no episódioda semana haverá alguma melhora. Fiquei extremamente feliz aoperceber que o Lobo Mau Eddie vai ficar na série como fixo mesmo.Uma ótima notícia, já que ele traz um grande alívio cômico eagora também está com suas próprias indagações. Por que ele estáajudando um Grimm, sendo que um deles matou o avó dele milhares deano atrás? É uma parceria que não é 100% confiável.

Review: Grimm 1×01 – Pilot (Pre-Air)

Isso não é um conto de fadas. As histórias são reais.”


Segunda nova produção da Fall Season que possui alguma conexão(aqui, bem mais conexão) com contos de fadas. A primeira série éOnce Upon a Time. A estréia será só sexta, dia 28, mas aNBC disponibilizou para os seguidores do twitter um link para ver oepisódio. Um dos problemas com o piloto, foi a forma com que aemissora resolveu divulgar: entregou qual conto seria explorado noepisódio, além de tirar a surpresa de várias cenas.


O detetive Nick (David Giuntoli) começa a ver coisas estranhas eacaba descobrindo que faz parte da linhagem dos Grimms, grandecaçadores de criaturas mitológicas, que tendem a manter equilíbrioentre os dois mundos que aparentemente é o mesmo. A tia dele, quefoi praticamente a mãe dele por um bom tempo, está morrendo decâncer e decide contar logo o que ele não sabe. Claro que ela nãoconsegue (ainda), mas fiquei chocado ao ver alguém que está a 2meses de morrer, conseguir lutar daquele jeito com um Reaper.Infelizmente, ela ficou em coma o episódio inteiro.


No geral, o piloto não foi ruim, não foi bom… Foi simplesmentesatisfatório. Porém, o episódio começou e continou em ritmoacelerado. Antes da ‘abertura’ aparecer, o protagonista principal jásabe que é um Grimm, vê duas criaturas, mata uma e já estáinvestigando um caso. É um procedural supernatural. O que faz muitosentido, principalmente por trazer os contos dos irmãos Grimm àvida.


Todo mundo sabe que os irmãos Grimm foram os grandes disseminadoresdo folclore europeu no livro “Contos de Grimm”. Há váriashistórias populares, como a Chapeuzinho Vermelho, Cinderella, essascoisas…. No total, são mais de 200 contos. Todos os contos nãosão necessariamente contos de fadas. Portanto, para quem tem dúvidasse a série vai conseguir se renovar episódio após episódio (equem sabe, temporada após temporada), pense novamente.


Em Once Upon a Time, o piloto nos apresenta uma históriaclara, sabemos que estamos andando para algo calculado. Em Grimm,porém, o piloto nos apresenta uma premissa, que ainda não estámuito clara. Uma premissa que claramente irá se desenvolver em umacorrida atrás de casos e seres mitológicos episódios apósepisódios sem uma meta em mente.


Isso não é uma coisa ruim, como acontece em Law & Order: SVUe tantos outros dramas procedurais e já no piloto dá pra ter umanoção (em alguns momentos) de que os roteiristas tentarãodesenvolver uma história. Até agora, nada foi estabelecido. Oprotagonista nem sabia que existia vários ‘lobos-maus’ no mundo.


Alguns dos personagens já foram apresentados corretamente (e outros,como a namorada do protagonista, só estava lá pela cota debeleza)… O protagonista não. Ele se perde no meio da própria vidae não entende praticamente nada do que está acontecendo. Se nãofosse pelo lobo-mau, Eddie (de longe, o melhor personagem atéagora), ele provavelmente não saberia encontrar aquele outro macabroe velho comedor de garotinhas que usam vermelho.


É uma série com potencial. Resta saber se os roteiristas vãoconseguir levar Grimm de satisfatório para ótimo. Porém, nada mechocou mais no episódio do que descobrir que Eddie, sendo um lobomau, frequenta a Igreja e Nick, um humano, faz o contrário.