Arquivo da categoria: Parenthood

Review: Parenthood 3×09/10/11 – Sore Loser/Mr. Honesty/Missing


Uma série linda.

Nesses três últimosepisódios, a série lidou, como sempre, com muitos problemasenvolvendo criação de filhos e como esses problemas se desencadeiamdentro do próprio relacionamento dos pais. Farei uma review nãomuito grande, só apontando os pontos positivos e negativos dos trêsepisódios.

3×09: Sore Loser

Infelizmente, Parenthoodnão conseguiu sair do óbvio e colocou Adam e Rachel juntos naprimeira oportunidade que tiveram. Achei que Crosby seria um idiotacomo sempre, e acabaria fazendo com que Rachel demitisse por ficardando em cima dela o tempo inteiro. Tinha quase certeza que esse plotiria acontecer. Gostei de todo o plot da Sydney ser uma mimada quenão consegue perder nunca. As vezes os pais nunca entendem que,acabam mimando demais os filhos, fazendo com que eles se tornempéssimos perdedores. A série sempre consegue tocar em pontos em quemesmo sendo uma série, ou seja, ficção, no final do dia, sempreacreditamos no que ela está propondo.

3×10: Mr. Honesty

Sabia que se colocassemum cara na jogada, todo aquele plot do bebê da garota do café seriabem diferente. Era de se esperar que a conversa sobre comprar o bebêaconteceria, e tinha certeza que não sairia da boca de Zoe. Um dosproblemas que tive com esse episódio é por causa de todo o plot doAdam, Kristina e Rachel. Adam devia ter demitido logo Rachel, nãosei como alguém como ele, que sempre pensa na família, não o fezlogo. Isso só aumentou os problemas entre os dois e sinceramente,era algo que não deveria acontecer. Entendo que se não tivesseisso, a participação de Rachel na série seria um tanto quantodesnecessária. Por outro lado, fiquei feliz que não se tornou outrasituação Gabby. No entanto, Jabbar fez perguntas inteligentes,mesmo que ele ainda não tenha entendido que os pais tinham seseparado. Incrível o que uma garrafa de vinho faz. Sem contar que orestante da família ficou completamente deslocada no episódio e atéLauren Graham apareceu em menos de 40 segundos no episódio inteiro.A reação de Kristina foi um pouco exagerada, mas eu também ficariadaquele jeito se meu marido começasse a beijar mulheres de 26 anosbem após o nascimento do terceiro filho. Sem contar que toda a cenada discussão entre Kristina e Adam foi uma das mais fortes datemporada (e da série), principalmente por causa dos atores. PeterKrause, magnífico, como sempre e Monica Potter.

3×11: Missing

Em um momento de pânico,até o navegador do carro não funciona. Adam descobriu da piorforma, em um ótimo episódio de Parenthood, que deixa quase todas aspontas soltas bem amarradas. Gostei de como os roteiristasconseguiram dar um fim em quase tudo, deixando outras histórias emaberto, mas no geral, fecharam com grande eficiência essa primeiraparte da temporada. Fiquei tão orgulho de Crosby, que finalmentepercebeu que mesmo amando Jasmine, ele não consegue dar o que elaprecisa. Uma belíssima cena, um ótimo diálogo. Por outro lado, asituação de Kristina foi bem mais trabalhada, e eu não terianenhuma crítica em relação ao desaparecimento de Max, porém, euqueria mesmo era ter visto a família inteira trabalhando paraachá-lo. Enfim, Haddie também mostrou que ainda faz parte da série,já que nos ultimos três episódios ela estava meio apagadinha. Maxrealmente não pensa nos outros e claro que sempre é bom quandolidam com o Asperger na série. A história de Sarah, por outro lado,está me deixando frustrado. Parece que os roteiristas não conseguemfazer uma história decente e a coloca para contracenar com um caraque não tem nenhuma química. E agora ela está pensando napossibilidade de filhos, como assim? O melhor foi Zoe, que apareceu oepisódio inteiro só para tentar fazer com que Julia pensassedireito no assunto, dando muitas qualidades para o namorado quesinceramente, não possui nem a metade do que ela disse. A questãoé: será que Julia vai acabar fazendo algo ilegal para conseguirficar com o bebê ou ela continuará a ser forte e orgulhosa?

Parenthood volta dia 03de janeiro.

Review: Parenthood 3×08 – In Between


Um episódio bastante previsível.

Deem-me uma bola decristal e me chamem de vidente caso não sabia exatamente como oepisódio se desenvolveria. Cada plot mais clichê, com resoluçõesmais clichês ainda. Pra começar, White Collar resolveu fazer umavisita aos Bravermans, que obviamente não sabem que não podecontratar uma mulher mais gostosa do que a própria esposa,principalmente se a última estiver grávida e completamente insegurasobre o próprio corpo.

Gostei da personagem egostei da dinâmica que ela traz na série, mas espero que elafuncione mais do que ser somente um rosto bonito. Só não querotambém que a usem como novo interesse romântico de Crosby. Gabby,oi?

Amei Zeek tentando passara perna em Mille para que Adam acredite que ela queria ir à festa,sendo que na verdade, ele que queria tudo aquilo. Não adiantou nada,já que ele percebeu que não faz mais parte do ‘grupo’. Convenhamosque é bem mais legal passar a noite em família, fazendo uma dançabem estranha.

De qualquer forma, gosteique deram um fechamento no relacionamento de Seth e Sarah. O únicomomento que errei no episódio foi achar que ela iria acabar tudo como professorzinho e correr para os braços do ex- marido viciado.Gostei que Amber ainda se segura à lembraça do pai, mesmo que essalembraça seja um cartão de aniversário de 8 anos. Então, deve tersido completamente difícil para ela pedir para Seth ir embora.

No mais, ainda estougostando que os roteiristas continuam a dar espaço para Drew crescerdentro da série, mas tudo está ficando bonitinho demais para o meugosto. Aquele momento ‘ah, vamos fingir então ser namorados’ sendoque eles queriam NÃO fingir nada, foi totalmente desnecessário. Semcontar que a menina passa o dia inteiro com Drew. Claramente, ela nãotem outros amigos.

Além do mais, o plot deCrosby com ciúmes do doutor chocolate com o filho foi bastanteprevisível. Claro que ele iria no consultário e iria falar aquelascoisas, se sentiria mal sobre a situação, mas quem se importa?Claro que o doutor iria entender e ainda foi generoso até demais, aoentregar os ingressos para Crosby. Pelo menos não tocaram mais noassunto ‘eu amo Jasmine e tenho ciúmes dela com outro’, por quesinceramente? Isso já está bem ultrapassado.
@marcoacpontes

Review: Parenthood 3×07 – Forced Family Fun


Essa é a série dos Bravermans.


Ou seja, eles acabamvirando nossos heróis, pegando as dores, tudo. O motivo pelo qual euacho que as pessoas acham a série tão profunda é por queconseguimos ver que não são pessoas ruins tentando arruinar a vidados outros. Eles são essencialmente pessoas boas, que querem fazer oque é certo, mesmo que as vezes a tentativa acaba sendo frustradapela própria ignorância, falta de compaixão ou empatia.


É o que torna essa série diferente de muitasoutras e também das novelas: a complexidade dos personagens. Porexemplo, a briga entre Cosby e Jasmine: é claro que Crosby estábravo pois além de estar namorando o médico, o médico também estábrincando com Jabbar. Ele tem todo o direito de se sentir assim. MasCrosby não é malvado por causa de todas as coisas que ele fez.Foram só coisas que ele fez por causa da própria personalidade.


Julia, por exemplo, ao ficar brava quando a garotado café fala que não tinha um contrato. Dá pra sentir por que elase sentiu daquele jeito, da mesma forma que é compreensivel porqueKristina deu um colapso antes de ir para o minigolfe, já que elaestá em um grande estress e tem também uma grande necessidade desempre estar com a família junta e apoia-la sempre.


Amei o fato de que o filme favorito de Seth e Sarahé Vertigo. Seth é a Kim Novak e a Sarah é o James Stewart,tentando mudá-la para tentar fazê-la aceitar ele próprio. Essacoisa que faz com que ela sempre sinta na necessidade de deixá-lovoltar à vida dela e das crianças. Essa necessidade vai acabartrazendo mais mágoa do que qualquer outra coisa.

Review: Parenthood 3×05/06 – Nora/Tales from the Luncheonette


Cee Lo Green quebrando oLuncheonette.
Parenthood fez doisepisódios beirando o ridículo, e isso seria o que qualquer outrapessoa falaria se visse alguma das cenas fora do contexto. Porexemplo, Adam experimentando roupas para tentar ‘entrar na onda’ edepois andando pelas ruas em roupas dos anos 90. Vontade de chorardaquela cena… Super vergonha alheira, mas a gente deixa passar.

Claro que teve osmomentos clichês que todo programa tem, com a garota do caféfinalmente ter aceitado entregar o bebê dela para Julia. Claro queela precisou de um típico ‘não tenho ninguém pra ficar comigo nohospital e eu sei que você é uma boa pessoa então vai me convidarpra ficar um tempo na sua casa’ momento e isso seria completamenteridículo, mas como foi feito de forma tão natural e adorável,mostra o quanto todos os atores envolvidos conseguem entregar cenassuper-realistas para uma série que não é bem realista.

As cenas de confrontoentre as personagens são ótimas. Há um jeito em que a câmeracapta certos momentos que torna tais cenas diferentes dos outrosprogramas, deixando tudo mais acreditável. Lindíssimo Crosbyvirando um homem e ajudando no porto de Kristina, pois convenhamos,ele não estava muito agradável no episódio.

Até as storylines quenão tinham nada a ver com a parte importante do episódiofuncionaram bem. O que mostra que os roteiristas conseguem acharaquele equilíbrio necessário para lidarem com tantos plots em um sóepisódio.

Vale ressaltar que oprofessor namorado de Sarah esteve de volta nesses dois episódios, oque me deixou bastante deprimido. O personagem é muito depressivo.Não gosto dos dois juntos e por eu querer que Sarah volte para Sethquer dizer que realmente alguma coisa está errada.

O que nos leva àprincipal parte do sexto episódio, com Sarah ajudando Sethnovamente. Claro que o ex-marido iria voltar todo chapado e coisa dotipo e não sei se ele de fato, irá para a reabilitação. Ele comcerteza parece decidido, mas temporada passada ele também estavadecidido a ter um bom relacionamento com o filho e foi embora poucosepisódios depois, então…

Queria que tivessemmostrado mais a nova dinâmica na casa de Kristina, já que erreifeito ao dizer em reviews passadas que seria uma boa ideia Adam eCrosby trabalhando juntos. Claramente não está dando certo e nãogostei dos dois juntos. Era bem mais seguro ter continuado com otrabalho de vender refrigerantes.

Houve até um destaquemaior para o filho renegado de Sarah, Drew. Mal deu pra perceber afalta dele no último episódio, mas foi tão adorável ele ganhandoo primeiro beijo. Espero que tenha mais cenas do novo casalzinhojuntos.

Review – Parenthood 3×03/04 – Step Right Up/ Clear Skies from Here on Out


Parenthoodem dose dupla.

Sarahestava me irritando no terceiro episódio, mas só pelosimples motivo que ela estava sendo uma motherzilla. É compreensívelque ficaria bastante abalada e muito em cima de Amber por mudar decasa, mas é estressante ver ela daquele jeito. Pelo menos Drewfinalmente teve alguma função na série, além de conseguirinteragir com o pai na temporada passada. Gostei de como lidaram como assunto, não tornando o negócio muito clichê, e isso é algo quea série sempre consegue fazer bem.

Poroutro lado, decidiram terminar com a storyline de Alex bemrapidamente. Foi inesquecível a cena em que ele desabafa para Haddieno episódio passado, mas nesse episódio, nada foi muitodesenvolvido e senti que não foi a melhor forma de acabar com oplot. Tinha grandes esperanças de que a salvação dessa temporadaseria a história de Alex e pelo jeito, todas as minhas esperançasmorreram. Uma stoyline que quero que aconteça mais é a de Julia e agarota do café. Ela é, de longe, uma das melhores participaçõesda série e ver aquele momento tão bonito mas tão triste tambémfoi ótimo e torço para que a garota acabe ficando com o baby nofinal das contas.

Nomais, não deu pra acreditar na safadeza de Adam e Kristina emrelação ao sexo do novo bebê. Eles sempre são pessoas tão boas eficaram praticamente torcendo para que não seja um menino pois sefor, vai acabar se transformando no Max 2.0. Desnecessário dizer quecomecei a odiar os personagens por causa disso, super preconceituosose só ficaram pensando em si próprios.

Alémdisso, outra coisa desconexa que aconteceu no episódio foi o dramade Cosby com Jasmine e o doutor chocolate. Acho que já passou aqueletempo em que Crosby tinha que ficar correndo atrás de Jas e acho quetambém já passou aquele tempo em que os dois ficam brigando porcausa do encontro aleatório da semana. Claro que, com Jas namorandoum doutor, isso vai acabar fazendo com que as coisas entre a mesma eCrosby tornem-se bastante complicadas.

Noquarto episódio, dava pra sentir que tudo estaria acabando paraalguns dos personagens. O problema entreCrosby-Jasmine-Kristina-Adam-Jabbar-Max já estava destinado àfalhar e principalmente, Haddie e Alex. Sempre gostei dos doisjuntos, pois demoraram bastante tempo para finalmente ficarem juntos,e quando finalmente acabou, fiquei bastante devastado. Não por causado término em si, mas pela falta que ele vai fazer na série,justamente por causa de Adam e Kristina. Os dois foram como pais paraAlex e a cena em que ele também termina o relacionamento com os doisfoi devastante.

Erade se esperar, porém, que Crosby não ia resolver o problema. Elesempre fica meio confuso, SEMPRE, e nunca resolve nada. A cena em queas duas crianças finalmente vão para cima do outro foi totalmentejustificável. Entretanto, é pedir demais para uma criança de, seilá, 5 ou 6 anos? Aceitar ter que almoçar como primo toda hora, sendo que ele nem sabe o que Max tem de errado.

Zeeke Millie também tiveram um aproveitamento melhor essa semana, com oprimeiro voltando a atuar, mesmo que seja num comercial paradisfunção erétil. Desnecessário dizer que tirou todo o drama doepisódio, tornando-o bem leve. Serviu bastante para que Milliecomeçasse a ficar inspirada em tentar novas coisas, como aprender omandarim.

Foibom também ver a história de Drew continuar a funcionar e dessavez, mesmo sendo super tímido, deu a LOKA na escola e mesmo assim amenina foi atrás dele. Será que é aquele cabelo lisinho que deixouela toda animada? Não dá pra entender, porém, o que o professortraz para a série. Não gosto da dinâmica dele com Sarah, mas pelomenos nesse episódio ele serviu para alguma coisa: Fez Drewconseguir uma caminhada altas horas da noite.

Review – Parenthood 3×02 – Hey, If You’re Not Using That Baby…


Tantas storylines, tão pouco tempo…

Um dos problemas de Parenthood, é que, além de possuir um vasto elenco, possui alguns problemas de continuidade como foi na segunda temporada. Sei que estamos somente no começo da terceira temporada, e já posso afirmar que os roteiristas estão acertando em cheio.

Não estou reclamando quando falo que teve pouco tempo para tudo o que aconteceu. Na verdade, tudo aconteceu de forma aceitável, novamente, com todos conseguindo seus momentos e cenas de tirar o fôlego. Achei que precisava de mais uns minutinhos pois sempre me sinto tão ligado com a família Braverman. Porra, o ator que faz Alex deveria ganhar logo um Emmy só pela cena na qual ele faz uma confissão torturosa sobre o próprio passado. Achava, na semana passada, que essa ideia de colocar um drama no relacionamento dos dois não foi uma boa ideia, mas agora, digo com toda a vontade que precisávamos de alguma história tão real como essa. Não é como se ele tivesse batido o carro embriagado, foi algo bastante sério.

Julia, por outro lado, é tão adorável que fica difícil rir da situação. Óbvio que a garota do café não iria aceitar vender o bebê  Mas pior ainda foi descobrir que ela estava trabalhando com uma agência de adoção. Eu sei que Julia quer ter um bebê rápido, mas acho que não vai ser um problema, novamente, já que ela possui um dos maridos mais gostosos do mundo. Sarah, por outro lado, anda meio perdida na história. Gosto muito, amo na verdade, Lauren Graham, mas a história dela com o professor não bate. Eu também tenho minhas dúvidas da mesma forma que a personagem tinha até o meio do episódio. Não sei se eles dão certo. Adam, por outro lado, salva sempre a série quando aparece, sempre tentando fazer o que ele julga que é certo, mas acho que ninguém tinha dúvidas que ele iria acabar aceitando a parceria com Crosby. Principalmente após aquele discurso que ele deu na frente do proprietário do estúdio. Provavelmente, o negócio não vai pra frente, mas pelo menos eles tentaram TOGETHER.

E como sempre, a série nunca faz errado quando tem que lidar com o autismo de Max. Agora com ele numa escola para crianças normais, os conflitos seriam bem complicados, mas gostei de como não jogaram logo tudo o que poderia acontecer logo no primeiro dia de aula. Eles sempre conseguem lidar com a síndrome de forma autêntica, honesta e envolvente.

Review – Parenthood 3×01 – I Don’t Wanna Do This Without You


A família Braverman está de volta!

E que volta. Além de ter passado 6 meses desde o final da temporada, tivemos tanta informação e novas storylines que ficou difícil respirar e piscar por um tempo. Felizmente, os produtores souberem como lidar com a situação, tentando ao máximo dar à todos o mesmo tempo em cena. Algo que não acontecia sempre na última temporada.

Com o começo da nova temporada, a nossa querida família está em transição. Adam está tentando arrumar um emprego, já que foi despedido da fábrica de tênis no final da segunda temporada; Kristina está bastante grávida e trabalhando também, tentando ajudar a família; Haddie está tentando equilibrar sua vida de estudante com o namoro; Amber está em constante mudança, achando um novo apartamento; Julia e Joel estão tentando adotar um bebê; Crosby está sendo o Crosby e Sarah fazendo 40 anos.

Adam estava tão sujinho no começo do episódio que fiquei com medo que ele ficasse daquele jeito durante o resto do tempo. Felizmente, ele conseguiu uma entrevista de emprego e aparentemente o conseguiu. Mesmo que ele esteja feliz por conseguir um trabalho, a posição dele na empresa é fixa e não há muito para evoluir, fazendo com que ele ache boa a ideia de entrar em um negócio de risco com Crosby, que quer comprar um velho estúdio de gravação. Vejo que esse desenvolvimento será o melhor no momento: obviamente Adam não ficaria feliz em seu novo trabalho e talvez juntar ele com Crosby em uma outra situação traga bons e maus momentos. O importante é que, com certeza, ele deve aceitar a proposta de Crosby, e dessa forma, a série começará a explorar outros recursos que não vimos antes.

Sarah está triste por perder a filha, mas todos sabiam que isso ia acabar acontecendo. Não sei como Amber conseguiu ficar tanto tempo naquela casa: há uma superlotação. Pelo menos ela está reacendendo o romance com o professor. Gosto muito dos dois juntos e aquele beijo foi extremamente necessário. O plot mais peculiar até agora é Julia querendo comprar a bebê da menina do café. Como assim?? Tudo bem que adoção é uma coisa complicada, mas quem vai falar não para uma advogada bem sucedida e um marido gostoso?

Não gostei muito de como já fuderam com a relação de Haddie e Alex. Gosto dos dois juntos e demorou um bom tempo para a relação acontecer. Entretanto, foi necessário o plot da festa, só não sei se foi uma boa idéia o mandar para a cadeia. Tenho certeza que se ele não fosse um chocolate, os pais do garoto nem ia pensar em fazer queixa.

Parenthood é uma série boa. Aparentemente, os roteiristas começaram a perceber os erros que fizeram na temporada passada e agora, não vai ficar uma coisa ‘ai, ela vai ou não vai pro coito? Ela vai ou não adotar?’. Elas vão MESMO. Gosto muito da série pois ela não fica também tentando fazer ninguém parecer uma péssima pessoa. As coisas acontecem e pronto, erros são feitos, e tudo o que precisa fazer é tentar evitar os erros que os seus pais cometeram, fazendo novos erros para os seus filhos para que eles façam novos erros para os filhos deles. É assim, é o ciclo da vida.