Arquivo da categoria: Review

Review: Supernatural 7×11 – Adventures in Babysitting

Nossos boys estão de REVENGE. 
Pela primeira vez, o episódio foi mais OS personagens do que O CASO. Não foi um episódio fantástico, não escreveram o caso da semana muito bem. O roteiro ficou por conta dos personagens, e Supernatural sempre foi apenas uma coisa: Família. Mais uma vez, a série tenta fazer a gente se emocionar.
Eu penso o seguinte, a cada temporada de Supernatural, os vampiros mudam (ou pelo menos seus parentes). Aquilo era pra ser um vampiro? Fui buscar mais informações sobre o que era, e pelo que eu vi, era meio que uma serpente venenosa, daí uma coisa que o episódio não explicou. Perceberam o tanto de sangue que o Sam perdeu? O tanto que ele ficou envenenado? OKAY, CADÊ ELE PASSANDO MAL E SE TRANSFORMANDO NUMA, NUMA SERPENTE? Haha, ele só ficou um pouco desmaiado, e apenas isso. 
A importância desse caso não foram caçar esses monstros, e sim salvar a vida do pai caçador de uma adolescente esperta, e ter que cuidar dela. Daí o nome do episódio: Adventures in Babysitting, porque enquanto a garota Krissy se mostrava madura (Dean Girl Version) querendo resgatar seu pai e tal, os garotos Winchesters estavam à procura do último pedido de Bobby antes de morrer, aqueles números 45489.
E sobre o Bobby, ownt que saudade. Achei bonito o que fizeram pra mostrar como os meninos sentiam sobre eles. Na primeira semana, eles de luto, olhando para a garrafa vazia. Na segunda semana, eles procuraram saber o que eram aqueles números, senha do banco? CEP? E-mail? Na terceira semana, aprofundaram ainda mais na busca, indo atrás do assassino de Bobby, Dick Roman, o leviatã #1. 
A parte que Dean vai atrás de Frank Devereaux (quem não lembra, apareceu no 6×06) para saber mais dos números, foi bem de longe interessante. Tá ok que descobriram que os números eram coordenadas, mas pra que? Um terreno que os leviatãs estavam construindo algo. PRA QUE? Isso também não foi falado, mas talvez nos próximos. Ou seja, só pra encher linguiça.
Daí tá, a parte interessante ficou quando Dean foi resgatar Sam das “vampiras”, e que finalmente participa do caso, quando só quem sabe onde ele está é Krissy, que também está a procura do pai. Achei bem legal a conversinha deles, e o jeito que ela tomou conta das vampirinhas foi awesome, pareceu uma… pequena Jo. Lembram quando eles acharam que a Jo não sabiam caçar? Pois é.
A decepção do episódio ficou por conta dessas serpentes ter mordido o Sam, e terem arrancado apenas sangue, sem nenhum sentido. O que fechou, claro, foi o sorriso “maléfico” de Dean, um sorriso feliz, que se mostrou feliz mesmo sabendo que eles estavam na merda. Que mesmo depois que Bobby morreu e que tinha muita coisa pela frente, eles tinham que continuar, segundo o conselho de Frank.
 Nota do Episódio: 7.9
E Mais:
– Quem foi que tomou a garrafa de Dean? Será que foi o fantasma de Bobby para não deixar Dean bêbado? Seria uma teoria legal. 
@ipcs_
Anúncios

Modern Family 3×11 – Lifetime Supply

Não sei o que dizer,mas foi bom.
O episódio foi muito legal,mesmo com todas piadas fracas (aliais teve piada ? ).O começo do Phil só serviu para assisti-lo surtando depois,acreditando que ia morrer e fazendo o que qualquer pessoa iria fazer : pensar na vida,mas de uma forma mais exagerada (se não,não seria o Phil).Teve o novo amigo do Luke,eu não deixaria meu filho brincar com um velho,então não fez muito sentido,mas a piada dele foi boa : ” first you win a war,so there we learn your language “.
A parte do Cam e do Mitch,foi boa,quem nunca se sentiu melhor (pelo menos um pouco) depois de ganhar um prêmio,eu já.Um fato que eu percebi,foi : A Alex não está muito presente interagindo com a família Dunphy,ultimante ela fica mais com a irmã e os tios,eu entendo,as piadas dela já são umas das melhores da temporada,mas parece que ela não faz parte de lugar nenhum,meio excluída.  
A Gloria é outra que vai muito bem nessa temporada,a maioria das pessoas dizem que já cansaram das piadas com o sotaque/país de onde ela veio,mas eu não me canso nunca,ela de longe é minha personagem favorita.As cenas dela falando do pai do Manny e a do Black Mouse,foram de longe as melhores situações desse 03×11.Agora em contraste,as do Jay,foram chatas,não gostei de nada,tudo sem-graça.Até a próxima semana.

Review: Two and a half men 9×13 – Slowly and in a Circular Fashion

Após “One False Move, Zimbabwe” posso dizer que eu como fã de Two and a half men tinha perdido as esperanças nessa temporada, mas, me surpreendi com esse episódio que foi realmente bom.


A idéia do episódio não foi lá tão boa, com Robin e Bridget tentando tirar Walden do controle da sua empresa(Walden Loves Bridget), porque ele estava gastando muito dinheiro.O desenvolver do episódio estava muito morno até Walden convidar Alan para fazer parte do conselho da empresa e como sempre Alan apareceu como diferencial do episódio, sendo usado para ser apenas patético.

                             

Patético e um personagem que é manipulado muito fácil, com por exemplo o tal caso com a mãe de Walden e  depois, houve o Porsche vermelho. A coisa sobre Alan é que ele faz essas más, coisas estúpidas mas não é porque ele é particularmente mal, é porque ele é fraco. É por isso que é engraçado. 

O episódio também foi muito dependente de Walden e sua nova série de personagens de apoio (Bridget, Zoe e Robin), os quais estavam situados ao redor da mesa da sala do conselho.  

– Se vale alguma coisa, não são as primeiras mulheres que eu decepcionei.
                          
Ainda falando sobre os personagens desse episódio, uma coisa ficou clara os novos personagens estão sem identidade, sem nexo, por exemplo, nesse episódio ficou clara a mudança totalmente desnecessária da personalidade de Bridget, mais uma vez, quem não se lembra ela prometia ser uma “Rose 2” e perseguir Walden após tomar um fora do mesmo e agora ela volta nesse episódio com uma parceria  inusitada com a mãe de Walden.

Os personagens estão passando por mudanças para chegar ao ponto certo, esse é uma nova série, novos personagens, não iremos ver mais Judith, Herb, Rose, entre outros com tanta frequência, pois já entraram outros personagens no contexto.

Já no final, 
após Alan ajudar Walden a ficar no comando da empresa, Walden acabou passando a casa para o nome de Alan, que despertou minha curiosidade, Charlie era um homem rico e nunca iria precisar pagar hipóteca então cheguei a conclusão que a tal hipóteca foi apenas forma de fazer Alan não ficar com a casa, para fazer sentido na história.

Conclusão: Foi um episódio bom sim, um dos melhores da temporada e recuperou beem a moral após o episódio anterior.

Agora fiquem com uma das melhores cenas do episódio:

        

Review: How I Met Your Mother 7×13 – Tailgate

Como é difícil conversar com o seu pai, hein Marshall?
Ah, sinceramente, gostei dessa volta, mas esse episódio depois do longo hiatus, talvez não valeu muito. Ele tentou e tentou esforçar-se ao máximo para se fazer um episódio dramático, mas nem chegou aos pés do 6×13 “Bad News”, e as nostalgias nem foram boas.
O narrador na maior parte foi Marshall, to adorando esses episódios que não só o Ted narra a história. Marshall visitando o túmulo do pai pra contar o ano novo da turma? Será que foi uma boa idéia? Foi um bem tanto estressante pro Marshall ter que aturar os irmãos que resolveram visitar o pai no mesmo dia, e ainda mais os vizinhos pobres que não tinham uma TV, rádio ou celular para escutar o jogo que era apenas exclusivo, para Marshall e seu pai. Então vem cá, porque o Marshall teve que contar histórias que nem estava fazendo parte? Essa Sétima Temporada tá fazendo do Marshall um belo personagem desnecessário, que está servindo apenas para ser o pai da criança de Lily.
Não estou gostando do Marshall nessa temporada, não teve uma cena dele que não ri até agora, ou emocionei enfim, o 7×10 então fez dele um completo retardado, sinceramente.
Bom, parando de falar do Sr. Eriksen, vamos falar da mulher dele, a dona Lily. Meu Deus, que plot bonitinho, ela achando que o pai dela nem se importou com ela grávida, desligando na cara dela, quando How I Met Your Mother mais uma vez com uma de suas reviravoltas, fala que no momento que ele desliga na cara dela, comemora até falar chega de feliz da filha grávida e vai atrás dela. Devia ter focado mais nisso que o Marshall visitando o túmulo, e não curti muito as nostalgias de quando Marshall era pequeno e tal, e o pai fazendo churrasco pra ele.
THE PUZZLES ARE BACK! Gostei de rever aquela idéia do bar de Ted e Barney pondo em prática, mas acho que os produtores esqueceram do episódio 4×13 “Three Days of Snow”, quando Barney e Ted tomam conta do MacLaren’s e aproveitam do seu bar preferido e tal, e pouco depois chama a galera pro apartamento do Ted, mas enfim, apesar que repetido foi um plot bem usado, porque olha, tivemos a boa volta do Doug, o bar tender que deu uma surra neles em 4×10 “The Fight” !
Haha, boa volta vírgula, apesar que Doug sem a peruca agora queria se vingar, o cara nem meio que estragou o ano novo de Ted e Barney, cobrando absurdos nas bebidas, e na própria entrada no MacLaren’s. Então tipo, depois de uns quatro anos eu acho, ainda ter raiva dos caras? Não compensou muito, mas bem que tentaram colocar mais cenas com o personagem, quando Barney e Ted resolvem contratá-lo de segurança do Puzzles. O mais legal do Puzzles no apartamento de Ted é que na medida que as brigas e quebros de copos começavam, o preço da bebida aumentava, isso foi awesome.
Pra finalizar essa review enorme (que eu não esperava, pois o episódio foi mais ou menos, mas episódios ruins é que são bons de comentar), temos o plot  de Robin voltando a ser ancora. Fiquei feliz com isso, e foi um tanto engraçado o Sanders levando o segundo fora do dia porque queria um ménage com sua namorada e Robin hehe. Ai pelo amor, até quando Kevin meu deus? Não agüento mais!
Nota do Episódio: 7.2
@ipcs_

Review: The Good Wife 3×11 – What Went Wrong


Com certeza havia algo errado com aquele julgamento.

Sabemos que é um bom episódio de The Good Wife quando o episódio começa direto no veredicto de algum caso. E ainda colocando Kalinda e Alicia se comunicando no mesmo episódio? Muita delícia esse último episódio do ano.


A questão de Kalinda e Alicia já está se arrastando por muitos episódios. Pensei que até o final de 2011 estaria resolvida. Porém, resolveram finalmente colocar Alicia descobrindo sobre o papel vital que Kalinda desempenhou na questão do sumiço da filha. Claro que essa questão seria abordada logo, e não fiquei em momento algum achando que demoraria muito tempo.


Do jeito que Alicia estava aparecendo no episódio – toda desligada – tenho certeza que muita gente achou que Diana iria mandá-la pastar em outra firma. Nunca passou pela minha cabeça, e com certeza seria algo em relação à parceira na firma.


O grande problema é que Alicia está muito à vontade com Peter, novamente. Espero que agora que ela acabou tudo com Will, não volte para Peter. Não vejo os dois sendo felizes. Aliás, se ela voltar para Peter, com certeza não conseguirá olhar Kalinda nos olhos por muito mais tempo.


Mas torço pela reconciliação das duas. É tão difícil achar duas protagonistas mulheres que conseguem uma química linda na telinha e as duas possuem. Portanto, espero que venha logo esse dia.


Em relação ao julgamento, foi muito bem usado todas as técnicas de espionagem que Kalinda possui, mesmo que isso a colocou na cadeia. Pior mesmo foi aquela jurada, que ficou contando TUDO para a árabe só porque ela mostrou interesse pela coleção de moedas.


Pensei que eles iriam conseguir achar um jeito de continuar com a história do jurado que descobriu que a testemunha foi o mesmo que matou um hispânico anos atrás, por isso não gostei muito de como terminaram o caso. Seria bem mais interessante se tocassem nesse assunto, considerando que a série sempre lida com temas controversos.


Porém, The Good Wife fechou 2011 com muitos altos e alguns baixos, e não posso deixar de comentar da cena em que Peter praticamente ameaça a diretora de TUDO que é possível no mundo, só para conseguir as vagas para os filhos. Desnecessário dizer também que mesmo que a motivação de Diane em tentar ser ‘amiga’ de Alicia não seja lá muito verdadeira, será uma boa mudada, considerando que as duas são as mulheres (juntas com Kalinda) mais fodas da série.

@marcoacpontes

Review: Pretty Little Liars 2×13 – The First Secret

Nunca pensei que um episódio só de Flashbacks fosse tão bom e perfeito como esse
Nunca pensei que os primeiros segredos de Pretty Little Liars fossem tão gostosos de assistir. O episódio não teve nada demais, foi muito simples, eu acho que gostei porque todos nós esquecemos todas as tramas malucas que a série já fez. Vimos como tudo começou, como Alison é insuportável, e outras coisas mais.

Tudo começa quando Noel faz uma festa de Halloween em que convida as 5 ”liars”, e lá começam a acontecer coisas misteriosas, e os primeiros segredos começam a surgir. Confesso que as “liars” eram meio chatas quando Alison ainda era viva, porque ela controlava todas elas. 

Primeiro preciso falar que Alison é muita chata e claro, muito bitchy, mas esse é o jeito dela, não vamos discutir. Mas agora já deu pra ter alguns suspeitos sobre quem deve ser -A. Lucas e Mona são os meus primeiros suspeitos, porque eles tem muita razão para querer se vingar de Alison. 

A parte legal do episódio foi ver Jenna muito diferente quando não era cega, ela era mais confiante, tinha até cara de que desafiava Alison. Eu apenas acho que o episódio foi apenas complementar, apenas isso. Mostrou como era a personalidade dos personagens antes de Ali morrer, e mostrou alguns suspeitos de -A. 

Pretty Little Liars voltou dia 02, daqui alguns dias você verá minha review do episódio então, até lá!

E mais:
– Lady G? É assim que chama aquela doida da Gaga? Fala sério Ali!
– Alison, sua fantasia nunca chegará aos pés a da Jenna, ok?
– Amei a Hanna de Britney Spears, me lembra da época de Baby One More Time, quando Britney prestava.

Review: Terra Nova 1×12/1×13 – Occupation/Resistence [Season Finale]

Uma season finale que cumpriu 1% daquilo que a sérieprometeu desde o inicio.

Duas semanas se passaram e só agora tive coragem de assistira season finale de Terra Nova. A série que vinha prometendo com seus trailers,sneak peek, pôsteres e entrevistas, além do peso do nome ‘Steven Spierlberg’,não cumpriu nada daquilo que prometeu. Pelo menos, em minha opinião, tivemosuma season finale digna. Nem sei e posso dizer ‘season’, já que não háconfirmação se a série volta em 2012 para uma segunda temporada.

A primeira parte não conseguiu me prendar na frente docomputador, me fazendo adiar ver o episódio. Apenas hoje, no ano seguinte,decidi dar uma chance àquilo que, de primeiro, não mostrou a que veio.
É dia da vinda da 11ª peregrinação e com ela, veio todosaqueles que queriam tirar uma casquinha da maravilhas do passado. Ma é claroque não seria assim tão fácil. Uma resistência foi montada a fim de impedir osplanos de Lucas Taylor.
Tudo pronto para mandar toda a riqueza de Terra Nova para opresente e, como toda resistência que se preze, Dad Taylor estava pronto para oque estava por vir: ao invés de Lucas mandar um container repleto de pedra meteórica,ele mandou um cornassauro, presente do dad Taylor e, de brinde, Dad Shannon comuma ogiva para destruir a Hope Plaza e toda a ligação do futuro com o passado.Terra nova está presa e a operação Phoenix está indo para o norte, uma regiãopouco conhecida pelo Dad Taylor, mas conhecida por outros povos e é isso quenos deixou curiosos para a próxima temporada. Mas apena isso: curiosos. Masnada que nos faça tirar o sono com uma ameaça de cancelamento que eu sei queestá sendo bastante discutida e até esperada por alguns seriadores.
Alguns pontos desse episódio não podem ser deixados de lado,como:
  1. Precisava mesmo a Wash ter ficado para trás? Eu acheidesnecessária e sua morte, uma completa perda.
  2. Juro que teve horas que eu queria ter deixado a Mandy paratrás. Na cena que eles estavam entre os containeres, se despedindo da Wash, apequena Zoe fez melhor seu papel do que a guria de boca aberta. Totalmenteirritante.
  3. Mandy aos pegas com o namorado no meio do nada.
  4. Sky, traindo Lucas para conseguir novamente a confiança deTaylor. Porém, ela mata o Taylor boy, então…Como será que isso seráresolvido? Confesso que isso me deixou na curiosidade também.
  5. E a mamy Shannon que, mais uma vez, com sua astúcia, livra omarido da cadeia. Isso que é mama!!

Acho que é só isso. Se esqueci algo, me perdoem…Deixemseus comentários. E até a próxima temporada. Ou não.
ps.: Não posso esquecer de dizer como ficou lindo o novo layoutdo nosso site. Amei!! 

Review: The Good Wife 3×10 – Parenting Made Easy

Martha resolve aparecer novamente.

E além do mais, sr. Canning está ajudando Martha. Sabia que seria um episódio lindo, principalmente por se tratar de Caitilin e Martha se confrontando em uma ARBITRAGEM. Todo mundo lá levou tudo aquilo muito a sério, sem contar o momento decisivo no final.


A questão era se o reitor sabia se ela era religiosa, e como ela confessou em um e-mail para a irmã que ela tem que esconder as crenças, obviamente ele não sabia. Isso tudo foi por causa do Sr. Canning, que foi logo dando ajuda à Alicia quando ela precisava, mas acabou sendo mais malvado, roubando os e-mails da bolsa da advogada. Pelo menos, ele esperou Grace estar segura.


Achei bem válido Peter se mostrar mais humano nesse episódio, quando ele diz que deixou a investigação da firma para os outros porque ele achava que se ficasse, talvez não seria tão rigoroso na investigação por ser a firma onde a mulher dele trabalha. Às vezes, gostando de pensar nele como um vilão, mas não é bem isso que ele é.


A série nunca fica violenta, então sabíamos muito bem que Grace estaria bem, mas bato palmas e de pé para Juliana Marguilies, que executou muito bem toda aquela sequência… Desde quando viu as 12 ligações e depois ouviu o carro, até o momento em que sai correndo atrás de todos para conseguir encontrar a filha.


Acho que teria sido uma boa hora para Kalinda mostrar o tanto que importa e ter deixado Grace comentado que ela que a achou e levou para casa. Talvez assim, Alicia e Kalinda voltassem a ser amigas, algo que está precisando acontecer há muito tempo. 

@marcoacpontes 

Review: Hart of Dixie 1×09 / 1×10 – The Pirate & the Practice/Hairdos & Holidays

As pessoas mudam, e foi isso o que aconteceu com Lemon.

1×09 – The Pirate & the Practice


Ação de Graças Pirata! Acreditem porque foi isso que aconteceu em Hart of Dixie. Como Bluebell é uma cidade fora do comum, eles comemoram de forma lendária essa linda data, porque dizem que os piratas salvaram a cidade. Zoe obviamente não acreditou em nada disso, mas metade dessa história era real. Um prefeito salvou a cidade de algum absurdo. Zoe conseguiu sentir que essa história era importante para toda a cidade e que ela devia respeitar.
E Zoe teve que lidar com isso, teve um caso de um garoto que precisava de uma emergência clínica e que acreditava em toda essa lenda mirabolante. No final, ele descobriu que era mentira. Mas Zoe foi esperta e quis que o garoto se divertisse no feriado mesmo sabendo de toda a verdade, e isso rendeu momentos fofos, mostrando que Zoe pode ser fofa com as próprias crianças. E ela teve que fazer isso tudo, sabendo que precisava alcançar seus 30% da clínica, mas pelo menos foi alcançado.
Por outro lado, Lemon teve que lidar com os pais de George, querendo oferecer a ele um emprego em Nova York. Mas Lemon se mostrou uma mulher forte e mudou bastante sua personalidade. Ela arrasou em todos os argumentos e mereceu uma salva de palmas. E eu vou continuar a falar: Zoe, você está cega? Wade te ama e você ainda não percebeu isso?
1×10 – Hairdos & Holidays

Acho bom George abrir o olho porque ele está prestes a ser largado.
O episódio foi focado mais em Lemon do que a própria Zoe no episódio especial de Natal. Lemon teve mais destaques porque teve flashbacks em que ela sempre aparecia. Descobrimos todo o relacionamento entre Lemon e Lavon no passado, e descobrimos quem é a mãe de Lemon. Acho que a moça está prestes a largar seu noivo George, possivelmente no próprio altar.
Zoe foi ajudar a menina Rose a ganhar um concurso de beleza da cidade, mas elas tiveram que enfrentar Lemon com a sua irmã Magnolia. Mas nenhuma das duas ganhou o concurso, foi o que eu já esperava. Tivemos Wade e George “tentando” trazer uma árvore de natal de 5 metros da cidade, mas por causa disso, eles foram presos e depois é claro, foram soltos e puderam até trazer a árvore junto.
Fiquei indignado novamente porque Zoe rejeitou Wade. Quando será que vai perceber que menino Wade está a sua espera? O episódio de Natal foi perfeitinho quanto o de Planksgiving. Os dois episódios especiais de feriado não aconteceram praticamente nada, foi apenas diversão. Agora a série infelizmente entra em hiatus e só volta dia 23 de janeiro.
Se você quer saber o que está por vir em Hart of Dixie depois do hiatus, aqui está a promo:

Até dia 23 de janeiro!

Review: The Good Wife 3×08 – Death Row Tip


Não seria The Good Wife sem um episódio do corredor da morte.

Eles fizeram novamente! Em 2010, na segunda temporada, o episódio 9, exatamente, foi o primeiro episódio em que vimos um cliente no corredor da morte, horas à distância de morrer, e os advogados tentando fazer uma apelação. No episódio deste ano, eles não tentaram com tanta vontade igual ano passado, sem contar que tinha mais um caso envolvido com o assassino, mas mesmo assim, foi um episódio de grande agrado.


O melhor foi que reclamei review passado da falta que Cary anda fazendo na série, não tendo muita relevância. Aqui, além de reclamar, reclamou muito, cheio de ciúmes por Kalinda estar tentando fazer com que a outra mulher durma com ela. Cary sempre teve um sentimento não tão oculto por Kalinda, então é ótimo ver os dois finalmente se pegando (mesmo se essa pegação foi pouca).

No geral, o caso foi bem sólido. De alguma forma, um moço no corredor da morte sabia de um assassinato. Claro que também, Lockhart & Gardner teria algum cliente no meio, como sempre. A firma sempre trabalha como defesa, e nunca, como…….

Alicia teve um grande problema, por ter uma filha da mesma idade das que foram estupradas e mortas pelo moço no corredor da morte. Claro que ela iria sentir um peso, preocupando-se mais ainda com a filha. Gostei da aproximação de Zach com a filha de Eli, que sempre é ótima nas aparições.

Eli teve que lidar com um potencial candidato para alguma eleição e essa parte foi extremamente divertida. Um candidato que fez sexo oral no papai noel. Um dia comum em The Good Wife. Falando nisso, sabe quem não aparece por Chicago por um bom tempo? Celeste.

Tenho certeza que os roteiristas ainda a usarão bastante nessa temporada, principalmente por causa da investigação da promotoria envolvendo Will. Ainda estou muito ansioso com todo o plot das investigações sobre a firma. Tenho certeza que teremos muitas cenas épicas. Será que finalmente veremos a tão esperada briga entre Will e Peter?

 @marcoacpontes