Arquivo da categoria: Sirens

Review – Sirens (UK) 1×06 – Cry (Season Finale)

Morno, muito morno. Eu esperava mais dessa Season Finale.

O episódio todo teve sua história geral: Stuart buscando uma reação emocional para ir no funeral de seu pai. Mas chorar não é uma coisa fácil para Stuart, então no conceito dele ele tinha que viver os momentos do pai dele, para depois enterá-lo.

Aquele início foi meio tosco, mas me pegou de surpresa um paramédico tirar uma flecha cravada no peito de Stuart criança e atravessada no outro lado. O fato de Stuart ser assim desse jeito, um estilo arrogante e sem “sentimentos”, é por causa do pai que tinha abandonado. Ai um dia no trabalho, chega uma mulher (a madrasta) que fala que o pai dele morreu. Achei estranho ele não ter reação nenhuma, nem mesmo ficando em casa sozinho, olhando seu reflexo na TV, esperando aquele Stuart chorar.

Aí Stuart decide ir na casa onde seu pai morava, bate na porta, e encontra um garoto. Depois a madrasta de Stu aparece, e fala que esse filho era irmão dele, que também se chamava Stuart. Criatividade nada né? Ou será porque o pai dele queria lembrar do filho que estava longe? Enfim, a cena que os três ficam conversando na sala, é meio nostálgica, porque o Stu (grande) estava olhando seu irmão falar, ele teve flashbacks do seu pai sentado na poltrona, lendo o jornal. O irmão dele, “O Pequeno Stuart”, tem as mesmas opiniões do Stuart, tipo o menino de 12 anos, tem razões, opiniões maduras, formadas e arrogantes e pensa como adulto. Até o jeito que ele coloca o molho na comida é igualzinho ao que Stuart faz, eles são bem parecidos. Boa parte daí pra frente, os dois Stuart’s ficaram passando tempo, dois irmãos passando o tempo perdido.

 Outra parte que não gostei desse episódio, foi Maxine e Craig. Como que ela aguenta esse cara? Os dois estavam tão bonitinhos episódio passado, mas pelo amor de Deus, tinha que finalizar isso já, e tinha que ser um lance bem dramático. Eles estão vivendo como um casal, mas não estou gostando!
Ah qual é! Olha a bagunça que ele faz chamando uns amigos pra beber na casa dela e ela tem que limpar tudo depois. Max por favor, se você quer que eu te respeite, joga fora esse lixo. Daí teve era o aniversário dela, Stuart leva o Stuart pra lá, e o moleque é obrigado a ver um monte de gente se beijando quase tirando a roupa. Pelo menos ele serviu de alguma coisa ali, encorajar Stuart a se despedir de Max, que a pegou de surpresa, beijando-a. Foi muito bonito as palavras dele, porém meio tarde de dizê-las. Uma das melhores cenas do episódio.

Quanto ao Rachid, ele foi promovido? Não entendi muito bem. Ele era estagiário e agora foi aprovado para trabalhar de verdade. Foi um aperto no coração ver todos os paramédicos desejando felicidades à ele, ainda mais Stuart e Ashley. Eles deixaram de ser um trio? Tipo, Ashley e Stuart sozinhos no 1×04, foi tão estranho mas quase me esqueci de Rachid, enfim. Rachid enquanto isso com o Carl Gordo foi bem engraçado, haha.

Ashley ganhou um marido temporário? Ou o cara que é folgado mesmo? É meio estranho, você querer dormir com uma pessoa, aí quando você acorda ela ainda está lá, ai quando volta depois a noite, ela ainda está lá! Tipo, o cara fez comida pro Ash, passou dias convivendo com ele, e fiquei me perguntando nessa storyline, porque que Ash não tomou atitude? Porque que ele não se aproximou mais do cara e tal, simplesmente ele pegou a ideia que Rachid falou que os outros pensam dele: Ash é um solitário e precisa de alguém. Ai o Ashley expulsa o “marido” da casa dele? Poxa Ash, esperava mais de você. Enfim, foi uma boa história pra uma final de temporada, só que mal usada.

E na cena final? A melhor de todas! Stuart tem um plano de ir pro funeral, e para não atrapalhar seu trabalho, pede a Ashley pra ligar na ambulância dizendo que tem emergências no crematório, e enquanto isso Rachid sabendo que Ash e Stu pegaram o caso, foi atrás deles sabendo que era sobre o pai de Stuart. Stu liga urgente pra Max pegar um terno pra ele, e enquanto eles atravessando a rua, um maldito automóvel entra na via que eles estavam indo, ficando encurralados. Por sorte, Rachid aparace na outra van, expulsando o Carl de lá para os dois sentarem (afinal que merda de opinião esse Carl tinha?). Chegando na igreja, Maxie
dá o terno pra Stuart vestir, e fica um lixo haha. Nada importava pra ele agora, apenas ir no funeral de seu pai, quando o padre fala que tinha acabado 10 minutos atrás. Stuart então, sem saber o que fazer e em estado de luto, pede para Rachid levantá-lo em cima da van, e ele fica olhando o cenário do cemitério, resolvendo tirar suas roupas, peça por peça, ficando só de cueca, ele deita e chora. EU SABIA que ele ia chorar! Isso era óbvio, mas eu esperava mais da cena do choro, porém foi legal.

Bom, visando geral, eu adorei Sirens e digo desde o piloto, me importei com os personagens. O jeito de pensar, as formas de agir, foi completamente uma série diferente. Mas nem todos os episódios foram perfeitos, tecnicamente só os três primeiros foram ótimos, enquanto os três últimos meio que se perderam. Infelizmente a má noticia de se você se apaixonar por uma série britânica, é que ela tem poucos episódios, sendo apenas uma temporada por ano. Me desculpem se demorei demais pra postar essa review, mas é porque ver o último episódio de Sirens que só volta a 2° Temporada ano que vem (Ou não, espero que sim), é bem frustrante. Peço desculpas também por começar a fazer review de Sirens meio tarde, peguei a série quando já estava no 1×04 eu acho, e não ia fazer Review nessa Summer Season, só quis fazer quando vi o lindo episódio “1×03- I.C.E“. Mas fazer o quê, se tenho um compromisso com o blog, tenho que ver não importa se é uma Series Finale, o que não é o caso (talvez, espero que não). Até o ano que vem!

P.S¹: E o prêmio de Emergência mais ridícula da Temporada vai para: o vovô e o seu periquito que morreu, fala sério, tanta gente precisando de ajuda e aparece uma tolice dessas, cada uma viu.
P.S²: 6 fotos? Hihi, peguei mania do episódio passdo de pegar a quantidade de fotos que é o número do episódio.
P.S³: Minha próxima Review, “How I Met Your Mother 7×01“, aguardo anciosamente dia 19/09!

Nota: 8.6

Review – Sirens (UK) 1×05 – Stress

A vida não é uma montanha russa. Repito, a vida não é uma montanha russa.


Episódio morno, mas gostoso de se ver, exceto quando você está estressado.

Porque? Bom porque, quando se está cansado, e chega pra ver um episódio de Sirens com título “Stress” (Estresse), sabendo como os personagens já são e a rotina de trabalho, percebe-se que será um episódio lento, com os personagens lentos, com cabeças cheias de tanto trabalho, tanto caso e pensando em várias coisas ao mesmo tempo.
Alguém aí sentiu falta do Rachid? Ele apareceu em poucas cenas, só ficaram Stuart e Ashley, mas depois de um tempo você nem percebe que ele faz parte do grupo. Sabe que tem mais um, mas não sente falta, isso foi consequência do “1×04”, que detonou Rachid depois de fazê-lo um perfeito personagem emocional no “1×03”. Se bem que adorei a sacanagem que ele fez pro Stuart, colocando dois bonequinhos em posição sexual, depois que fui perceber que era um bombeiro e uma policial, E DEPOIS que peguei a mensagem que era o Craig e Maxine, para o Stu ficar lembrando dos dois e ter ciúmes, eu ri demais.

Stuart tem aquele carinho pela Maxie, ele só não quer admitir que é outra coisa. É claro que ele pensa nela, mas ele preferiu ver o lado dela e Craig, decidindo ajudá-los. Stu falando de como Craig olhava pra ela quando ela não olhava, que realmente gostava dela, foi bem legal. Porém, quando Stu vai conversar com Craig, não foi aquela emoção que a gente imaginava. Ele talvez não sente o mesmo por ela e Stu estava com medo de avisá-la, e magoá-la, mas por favor Stuart, colocar falsas esperanças não, né? Se quer deixá-la feliz, fala que ama ela! Então essa coisa de “Operação Maxine” foi bem interessante no episódio.

Claro que não posso esquecer que essa operação também envolvia que Maxine relaxasse sua cabeça, pois estava quase sendo promovida a Inspetora Detetive e tinha que dar tudo certo. Quando sua cabeça fica carregada, levando coisas pessoais pro trabalho, e fica só pensando nelas, é bem estressante.  
E nesse caso, Maxine quase perdeu o emprego, a promoção, quando disparou a arma de choque num cara sem avisá-lo, foi uma cena brilhante. E porque ela atirou do nada? Porque ficou pensando no Craig e fez uma ação sem pensar no que estava acontecendo.

Outra coisa chatinha nesse episódio, foi a conversa de Ashley e Ryan. Pelo amor de Deus, ficar com raiva do cara, apelar com o cara só porque chamou você de negão? Machuca seus sentimentos? Por um minuto, por horas sim, mas aff me poupe, né? Sim, você falou muito bem, é uma bicha chata sim, e não estou sendo preconceituoso, mas só revendo os fatos, não precisa de tanta apelação, ainda mais com o Ash, um cara bem legal (que não teve episódio central nessa temporada, infelizmente).

Enfim, a promo da Season Finale, promete um episódio perfeito, com assuntos familiares e bem tocantes para Stuart, e sua relação com Maxine chegará num ponto que todo mundo estava esperando: O Beijo. Fazendo mais sentido o título “Cry“.
P.S¹: Gostei da cena que a terapeuta está falando de Estresse, e eles anotaram palavras-chaves e foram riscando de acordo com que a terapeuta falava, brincando
como se fosse um bingo, uma cena bem divertida.
P.S²: Gostei daquele caso do fight das “lésbicas” russas, haha bem engraçado.

P.S³: Achei 5 fotos legais pro episódio, estava até demais, mas para um 1×05, fazia sentido.

Nota: 8.2 

Review – Sirens (UK) 1×04- King Of The Jungle

Episódio morno, talvez o pior até aqui. Não teve aquela emoção quanto os três últimos e talvez nem teve tanta história. Basicamente tratou-se do tema “Quem Manda Aqui”, o que faz mais sentido o título “O Rei da Floresta”.

O quarto episódio começa com nossos paramédicos: Stuart, Rachid e Ashley, em várias chamadas de urgência. Achei péssimo esse início, mas o caso do cara com a cenoura no ânus foi bem, tenso e estranho. Rachid não aceitava esses termos sexuais, ao paciente explicar como que “a cenoura entrou”, e ele dizendo “Isso é informação demais”, deu pra ver o quanto machista ele é, e que não está preparado pra encarar as realidades da vida.

Essa é a realidade certo? Não tem essa de muito informação” – Stuart.

Depois de ficar ouvindo Ashley e Stuart comentarem sobre que homens tem medo de penetração, Rachid fica longe deles, e quando a chefona percebe que os três estão em um confronto (o que era um bom momento pra terapeuta entrar em cena), avisa que era melhor o novato Rachid separar deles, por estar entendiado, e Ash voltar com o parceiro Carl, o insuportável gordo na visão de Ash. Stu então garante a chefe deles, que pode estar no comando, e que vai unir mais a equipe, chegando nas chamadas com mais
urgência e tudo mais. Eu gosto desse lado do Stuart, de querer ser o controle da equipe, mas parece que não fez direito, porque até gostei do Rachid dirigir a van com mais rapidez, foi até surpresa, MAS não gostei disso (aliás bem feito quando não prestou atenção e bateu a van). Tipo, Rachid no volante, fica se gabando demais, estava muito alegre, muito engraçadinho e chegou num ponto que ele estava insuportável. Estou dizendo que prefiro ele triste como no terceiro episódio? Não. Gostei de terem explorado o lado emocional dele, mas agora foi longe demais, muita felicidade em excesso é uma merda.
Partindo para o outro lado “O Rei da Floresta”, ou melhor, A Rainha da Floresta, tivemos a Maxine, que ganhou bastante destaque nesse episódio, mas não usaram esse centro muito bem. Digo, se era pra ser um episódio centrado nela e nos seus relacionamentos, deveriam ter feito melhor, e sei que Sirens faz uma Storyline perfeita quando é preciso.
Maxine estava com um cara que tem vários pontos legais que ela gosta, e na cama ela acabou com ele. Literalmente, acabou com ele, o que me fez lembrar do filme “Antes Só do que Mal Casado“, na pressão em que a mulher coloca na cama e no final do sexo, o homem fica transtornado. Foi bem comédia, mas foi muito tenso ver o resultado depois. Ela fez perguntas de como foi e mesmo ele querendo fugir dali, foi bastante sincero com ela, dizendo que gosta de mulheres que cedem mais.
Mais tarde, ela o convida para um jantar. Maxine estava bastante diferente, não era ela mesma. Ela só queria agradá-lo, mas exagerou demais, e ele forçando o sorriso, nossa não estava muito agradável. E foi um choque pra ela ficar sem entender a opinião dos homens, pois ela só estava fazendo o que ela pediu, mas não pegou a dica, como disse seu amigo Ryan.
Por falar em Ryan, finalmente ele trocou o telefone com Ashley, e foram pra uma boate depois. Estava até legal a parte da dança, e eles se aproximaram muito, até Ashley estragar tudo. Caindo no teste de Ryan, Ash depois de umas, confessou que queria seu grande material negão e Ryan ficou ofendido, pois é só o que todos pensam dos caras negros. E não é que essa história teve conflitos? Ryan mandado por Maxine, seguiu a van da Equipe Stuart/Equipe Rachid, e foi discutir sobre Ashley, dizendo que ele era preconceituoso, e Ryan lá morrendo de vergonha. Stu e Rachid vendo a cara de mentiroso de Ashley depois de ter falado apenas que “não rolou quimíca”, foi demais.
Ash por um outro lado, foi um pecador nesse episódio, sua alma vai pro inferno, Ashley, tenho pena de você. Ser flertado por um cara NA IGREJA, que você nem conhece, e ainda ir pro banheiro com ele, e ele passivo e você passivo? HAHAHA, eu ri. Depois sendo convidado pra uma festinha do asilo, e encontrar o pior cara da vida dele na festa ali, Stuart e Rachid ficam intrigados por ficarem sabendo que era o cara que sempre zoou Ash por ser gay, e que era o macha alfa que podia reunir uma multidão para zombar dele, mas que agora Ash poderia vingar-se dele, seduzindo-o. Bom, eu não entendi muito essa parte do Stuart conversando com Ash, que o cara agora tava excluindo-o, mas que agora estava incluindo-o, enfim. No final, tratava-se de liderança.
Melhores Frases:

Stuart: Isso não é “Grand Theft Auto” (GTA).
Rachid: É até melhor, melhor que do que Angry Birds.

“Acho que a mangueira continuará dobrada.” – Maxine.

“Wikipédia não é conhecimento de verdade. Sabe o que há nela? Material não pesquisado e não verificado.” – Stuart

P.S¹: Gostei da cena do caso da doidinha lá que estava com o corte no braço e uma faca na outra mão, cena bem tensa.
P.S²: Gostei da Maxine flertando pro bombeiro lá, parece que ainda vai ter muito a explorar isso no próximo episódio.
Nota: 7.6

Review – Sirens (UK) – 1×03 – I.C.E

Os seres humanos são capazes de fazer uma consciente e racional decisão de se desligar. E a razão disso? Porque sabemos que está vindo. Que a morte… está… vindo.

Episódio sensacional e completamente emocionante!
Sirens como no episódio anterior, centrou em um dos personagens principais.
Rachid vendo um homem que cometeu suicídio e depois ele ficar tão tenso abalando sua vida inteira pensando no dia que sua morte chegará, foi uma das melhores storylines de Sirens! Os roteiristas souberam explorar muito bem a sensibilidade e os problemas psicológicos no novato paramédico muçulmano.
E que vadia aquela namorada Sarah dele né? Tão patética, tão inútil ela é, e ele querendo se casar com ela, indo pra casa dos pais dela e depois descobrir q eles só foram educados mas não gostaram dele puts, muita sacanagem. Ela fala que ele é imaturo demais, e não vou negar. Porém, desde quando ele viu o cara morto, que a vida é curta e tudo mais, ele queria aproveitar a vida e ser mais responsável, passando mais tempo com a namorada.
Rachid tendo ilusões com o cara morto a cada ação que ele fazia era bem foda também, mas depois começou a ficar monótono, o morto não queria mais ir embora. Enquanto isso no trabalho, a fobia dele estava aumentando cada vez mais, querendo salvar pacientes da morte sem nem necessidade.
Quanto a parte do Contato de Emergência, é bem importante isso, mas não acho que deve ligar pra pessoa só quando estiver morrendo como o Stu disse! Achei hilário ele tentando convencer a Maxine pra ser sua E.C.E. A cada episódio o romance deles está indo num ritmo lento e como deve ser, só espero que não demore tanto pra acontecer isso e por favor, se quiserem mostrar isso façam direito!
Achei legal a comédia que os legenders conseguiram trazer para o português, quando Rachid pergunta pra quem ligaria e o Stuart diz “E.C.E”. Rachid repete mais uma vez e Stu brinca “Ese mesmo.”, depois explica que E.C.E significa “Em Caso de Emergência”. Outra coisa, o titulo tem duplo sentido, pode ser desse negocio de contato de emergência, quanto G.E.L.O ou nas entrelinhas, morte.
Quanto o Rachid tava tendo um ataque de pânico por causa da namorada que deu fora nele? Nossa foi bem tenso! Então o E.C.E dele era o Ashley? Muito legal, principalmente os conselhos do Ash das formas de como ele poderia morrer, mas não daquele jeito.

A surpresa do episódio é quanto aparece no celular do Ash: E.C.E Calling (e era o Stu!) tipo depois dele falar todas as dicas e tudo se encaixou, e achei q o Rachid. Várias pessoas tinham adivinhado que o Stuart era o Contato de Emergência do Ashley, mas eu nunca parei pra pensar.

A conversa do Rachid com a conselheira foi tensa, eu chorei nas palavras desses diálogos:
Kirsty: E está feliz por estar vivo?
Rachid: Sim, está vivo é bom pra caralho! Não vai durar pra sempre, certo?  Um dia algo vai acontecer. Mas onde? Quando? Como? O que terei feito? O que terei conquistado? Digo que estarei por aqui, mas quem liga?
Kirsty: Do que tem mais medo, Rachid?
Rachid: Não ser amado o bastante.
Kirsty: Rachid, as pessoas gostam de você. Existem pessoas que sentiram sua falta.
Rachid: Do que sentirão saudades de mim?
Kirsty: Do seu bom senso, sua energia, sua amizade.
E vendo ele sorrindo sarcasticamente, sabia que era uma mentira, chorando, emocionando-se, quem não para pra pensar na vida? Quem não parou o episódio pra chorar e só voltou depois de ter tomado um copo de água? Quem, quem? Eu não estou dizendo que fiz isso, por acaso falei que fiz isso?
Nota: 9.8
P.S: Ash caindo lá no gelo e eles andando de skate na Van em movimento? Não tem coisa mais engraçada que isso! Haha.

Review – Sirens (UK) 1×01 – Up, Horny, Down / 1×02 – Two Man Race

Primeiras Impressões, sei que estou muito atrasado pra começar a escrever porque já tá na reta final da temporada, mas enfim, quero comentar porque gostei da série, e indico muito essa incrível dramédia!

Porque você deve agora assistir Sirens? Bom, em poucas palavras, é uma série britânica produzida pelo canal E4, o mesmo dos incríveis e polêmicos seriados teens Misfits e Skins (esta última também serei responsável pelas Reviews da 6° Temporada em 2012). Aquele sotaque britânico, aquele linguajar, ironias, críticas da vida cotidiana de que como ela é realmente fudida, aquela cena sexy, pornográficas, tudo isso e muito mais em Sirens, no piloto então, já passei a me importar com os personagens!

Sirens é bem superior aquilo que eu esperava. Roteiro perfeito, personagens fodas, atores que fazem emocionar, comédia MUITO foda. E como falei, é aquele tipo de série “do que é a vida”, do jeito que a gente sabe como é: sempre fudida. Os conselhos são ótimos, me faz pensar em MUITA coisa!
No primeiro episódio, já são apresentados paramédicos e bombeiros em um caso, um acidente de carro e uma mulher está presa e ninguém sabe como agir. Stuart Bayldon (Rhys Thomas) que também é o narrador da história, começa a falar de adrenalina, e o quanto ela acaba obrigando a gente fazer a primeira coisa que vem na cabeça:

Adrenalina, maldita adrenalina! O coração bate como um martelo e os pulmões sugam o ar como um Dyson. A maldita adrenalina faz você fazer coisas estúpidas. É o hormônio típico de um mentiroso bastardo. Injeta em você uma droga de besteira, ilude você a ficar com a garota, pular a cerca, marcar o gol e corrigir a antena da TV. Eu odeio a adrenalina!

Então, ela faz na moça uma massagem cardíaca aberta sem autorização de ninguém, e seus amigos Ashley Greenwick (Richard Madden) e Rachid Mansaur (Kayvan Novak) só faltavam comer uma pipoca com uma Coca do lado pra acompanhar (na verdade eles só ganham destaque depois, mas o Rachid que é muçulmano é novato, e o Ash já trabalhava com o Stu). Mais tarde no hospital, eles encontram uma amiga policial deles, Maxine Fox (Amy Beth Hayes), num caso e depois a chefe deles falta arrancar o pescoço do Stuart, porque se a paciente morrer ele pode ter sérios problemas e obrigou eles a fazer terapia, mas mudaram o terapeuta do hospital que eles estavam acostumados! Agora uma mulher, Kirsty Schelmerdine (MorvenChristie), eles não pareceram gostar muito. Stuart então já afirma que está bem, maduro com essas coisas, mas a cena do banheiro que mostra ele com as mãos tremendo nega o fato. Depois ela explica sobre a adrenalina e que nas próximas horas haveriam mudanças de humor violento, começando por sensação de euforia, depois inquietação e por fim depressão. Na versão de Stuart é “Pra Cima, Tesão, pra baixo”, o título do episódio. 

Pra cima. Tesão. Pra baixo. Você vai se sentir feliz, vai ficar com tesão e aí vai terminar infeliz.

Não dá pra não pensar que é como você armar a barraca, estar com tesão e brochar depois, né? É essa a ideia, mas levando pro lado psicológico. Stu então quer provar pra terapeuta que não sentirá essas alterações, mesmo ela falando que são leis da Biologia. Depois em suas casas, Ashley chega na sua e descobre que suas coisas valiosas foram roubadas, mas em seguida aparece Rachid divertindo com o Xbox naquela TV gigante e só de cueca, coincidência? Maxine sem fazer nada e com um capuz na cabeça, um cara a confunde com um homem. Stuart tentando dormir e não conseguia, será porque? 
O episódio daí cria um objetivo: mostrar eles tendo tesão, querendo transar com qualquer um, sob a teoria “Pra Cima, Tesão, Pra Baixo”. Rachid acorda de barraca armada querendo uma mulher para satisfazê-lo, Stuart “continua” dizendo que está tudo por cima, mas é seu membro que está falando, pois nem conseguir urinar direito não conseguia, e Ashley com desejo de comprar homens num site de relacionamento.
A única opção de Stu era chamar Ash pra “passar um tempo juntos”, então ele busca ajuda de Maxine para escapar do tesão e quando a mãe dela ouve ele falar em sexo pra filha dela, e ela tinha acabado de falar que pra Max que não acreditava a possibilidade dela estar com homens e tal, foi um choque e uma puta vergonha pro Stuart, haha. Enquanto isso, o negão comprado por Ashley chega na casa dele pra fazer um troca-troca e Rachid fica pelado e apenas com uma tigela no membro com uma “mulher de vida” (rs) na sua frente. 
Depois Stuart explica pra Maxine que queria evitar o sexo, a tentação, mas na casa dela? Com ela? Tipo, ela não é atraente? Ela ficou muito ofendida e expulsou-o da casa dela. Mais tarde, a terapeuta descobre por Rachid que elogiou seus peitos, que todos eles estavam com mudanças de humor, e entregando-se a elas. Claro que Stuart ficou negando né, era o que ele queria acreditar, dava pra ver o quanto orgulho ele tinha de si. Em seguida eles foram apartar uma briga de um monte de gente sangrando, mas parece que não adiantou nada e foi engraçado ver a Maxine vendo se ela é bonita, pegando conselhos do seu parceiro gay, o Ryan (Kobna Holdbrook-Smith), haha. E teve outro caso onde um cara quer pular da ponte, ai Stuart vai lá e convence o cara, falando o quanto a vida é fudida e não adianta a gente se explodir por isso.
De volta pro hospital, a terapeuta revela que a mulher salva por Stuart tinha morrido, mas ele só ficou pensando o dia todo na sua teoria “Pra cima, tesão, Pra baixo” que nem se deu conta da verdadeira razão. A cena final dele se desculpando com Maxine e ela com uma roupa de vadia dos anos 70 fechou o episódio.
Nota: 9.8

O segundo episódio foi bem interessante, mas poderia ter sido explorado mais. Stuart foi o central nesse episódio, ele estava tenso no trabalho e sua vida pessoal, porque não queria ligar pro pai e broxando com a nova “namorada”, foi bem legal de se ver. 

Mas por falar naquela vadia da namorada do Stu, QUE BITCH! Eu queria era que o namorado dela tivesse descoberto e não o Stuart assim, mas gostei de quando ele descobriu que ela tinha outro, a cara dele mostrou toda a raiva!
A participação de Maxine foi melhorada, ganhando mais destaque, pois aconselhava e mais pra frente obrigando a força com uma arma de choque, a ligar pro pai dele, haha foi comédia! Gostei dela ajudando-o, sinto que eles vão namorar um dia, eles parecem BEM ligados. Sei que são amigos, mas dá pra ver que tá rolando uma química. A Max arranjando arranjando namorado puts, nem fora do trabalho ela pode deixar de ser policial num encontro? Max, você é uma encalhada, acorda!
Quanto ao Ashley e Rachid, puts esse dois…
Rachid enchendo saco do Ash de perguntas sobre os relacionamentos homossexuais e como ele age foi tenso, imbecil e engraçado ao mesmo tempo. Mas o Ash com o Ryan? Só porque ele também é gay? Não aprovo. 
Quanto a coisa da competição de Paramédicos e Bombeiros, meio que legal mas completo enche-linguiça, minha opinião. Se bem que gostei do Stuart competindo lá com o outro bombeiro, depois provando que poderia ser melhor, subindo no 4° andar de um prédio em chamas, muito mais coragem e com certeza mais ousadia que o bombeiro, mas no final eles apertam as mãos e acertam que cada um pode ser tão melhor quanto o outro.
Nota: 8.9

P.S: Claro que não vou esperar muitos comentários, mas o que acharam da minha primeira review do site?