Arquivo da categoria: Switched at Birth

Review – Switched At Birth 1×10 – The Homecoming


/* Style Definitions */
table.MsoNormalTable
{mso-style-name:”Tabela normal”;
mso-tstyle-rowband-size:0;
mso-tstyle-colband-size:0;
mso-style-noshow:yes;
mso-style-priority:99;
mso-style-parent:””;
mso-padding-alt:0cm 5.4pt 0cm 5.4pt;
mso-para-margin-top:0cm;
mso-para-margin-right:0cm;
mso-para-margin-bottom:10.0pt;
mso-para-margin-left:0cm;
line-height:115%;
mso-pagination:widow-orphan;
font-size:11.0pt;
font-family:”Calibri”,”sans-serif”;
mso-ascii-font-family:Calibri;
mso-ascii-theme-font:minor-latin;
mso-hansi-font-family:Calibri;
mso-hansi-theme-font:minor-latin;
mso-bidi-font-family:”Times New Roman”;
mso-bidi-theme-font:minor-bidi;
mso-fareast-language:EN-US;}

Não!! Não acredito que vou ter que esperar até o ano que vem para ver o sexy Angelo.
Switched At Birth terminou sua metade da temporada de maneira excepcional. Teve um ou dois episódios que eu reclamei e ironizei igual um louco, mas tudo que eu falei foi produtivo. Apesar dos apesares, sentirei bastante falta dessa série durante o resto deste ano.
O episódio já começou chocando todo mundo com a participação de Giles Marini. Todo mundo se lembra dele e seu instrumento fazendo participação especial em Sex and the City- O filme. E nossa, como eu lembro. Qual é o real motivo da aparição dele, além de colocar um puto tesão em quem estava assistindo, é além da minha compreensão, já que com certeza não deve ser nenhum dos motivos que o mesmo falou para todo o elenco.
Talvez a motivação de Angelo seja realmente ganhar um dinheiro fácil com o hospital, por causa da suposta prova de que a enfermeira estava sendo explorada, trabalhando mais do que devia. Agora, os Kennishes vão ou não acreditar naquilo, lembrando que uma das consequências caso isso for mentira, é prisão? A sorte é que caso aconteça isso, nenhum dos dois (Kath e John) irão sofrer lá, não terão que fazer favores sexuais, pois ninguém vai querer penetrá-los.
Esse foi um episódio agradável, principalmente por dar fim a muitas histórias e abrir ALAS para outras novas. Daph ainda estava com aquela ideia de achar que está apaixonada por Emmet. Como Bay disse, ela decidiu isso por causa de uma camiseta! Bay, tadinha, está achando que o seu pai biológico é algo além de um tesão. Não entendi a fixação por ele, principalmente por ela querer saber mais sobre a origem dela. Será que ela sabe que foi Regina que pariu ela, colocando-a no mundo? Falando nisso, parece que nos EUA é muito fácil achar o seu pai biológico. Sujinhos e adotados, fica a dica. 
Angelo parece ser uma pessoa que está tentando se redimir pelos erros do passado, principalmente com Regina e Bay. Por outro lado, parece ser um vingarista, com cartão de outra pessoa e um olhar duvidoso. Mas sabe o que não é duvidoso? O tanto que ele é gostoso.
Emmet esperou oito anos por Daph. A sujinha só percebeu agora. Perdeu playboy!, já que ele está bem mais feliz com Bay. A porto-riquenha sabe como satisfazê-lo, por ser latina. Obviamente, além de surda, Daph é cega.
Mesmo assim, Daph não vai recuar e vai tentar de todas as maneiras conseguir fornicar com o garoto-maravilha. Toby fez uma leve participação no episódio e – pasmem- não foi para pegar Regina. Só queria pedir para Emmet participar da banda novamente, mesmo que quando os dois (Toby e Wilke) chegaram lá na escola dos surdos, parecia mais que eles iram assaltar o garoto ou força-lo a usar drogas ou algo assim.  
O garoto-maravilha tentou, com todo aquele discurso que nunca conseguiu manter nenhum relacionamento ou que nunca conheceu algum falante, para tentar afastar Bay, mas MESMO ASSIM, a vontade de coito falou mais alto, juntando os lovers novamente.
Seria ótimo se Regina e Kathryn começassem a trabalhar juntas. Daph, por outro lado, pareceu bastante abalada com a volta do seu ex-marido, mesmo que ela não se lembre de nada quando ele estava junto. Claramente, ela resolveu pegar as dores da mãe, odiando ele para sempre. Bay está bastante confiante sobre isso e já até fez Angelo participar de uma reunião familiar, mesmo que essa terminou com Daph falando que não conseguia entender nenhuma palavra que ele estava falando. 
Não entendi por que não deram continuidade ao grande problema da temporada, Regina sabendo a verdade sobre as duas. O assunto apareceu rapidamente por causa de Daph, mas nem foi tão impactante assim. A mulher fudeu com a sua vida e ainda está de bem com ela? Ok. O melhor foi John e Kath fazendo planos para tirar Angelo da cidade com Regina! Falsidade em Kansas City…
Várias perguntas surgiram: Como será a dinâmica da série, com a rivalidade crescente entre Bay e Daph? Será que finalmente vai acontecer coito entre Daph e Wilke? Angelo e Regina? E entre Bay e Emmet? Kathryn vai virar gente e arrumar um trabalho? Angelo vai tirar a roupa? Segurem tudo pois isso será respondido só ano que vem.
Sigam-me no twitter: @marcoacpontes
Anúncios

Review- Switched At Birth 1×09- Paradise Lost

Relacionamentos já são complicados. Por que dificultar mais ainda?
No episódio dessa semana, Regina teve que lidar com as consequências de ter falado a verdade. Sinceramente, achei tudo fácil demais no final, mas vamos pelas partes.
Na semana passada, fiquei extremamente irritado com Daphne. Claro, a mãe dela mentiu sobre uma coisa muito importante, mas a sujinha ruiva poderia muito bem ter apreciado que Regina fez um esforço durante o tempo todo, principalmente quando ela teve menegite, para cria-la direito. Ter dito que ficou totalmente irada com a mãe por causa da troca foi extremamente egoista.
Com o passar desse episódio, percebi que, na verdade, Daphne estava com medo de perder tudo o que ela conhecia, seu lugar no mundo. Além de simbolicamente perder a pessoa que ela considerava como a motivação, ancora da sua vida. Porém, há reflexões a serem feitas: Como as coisas teriam sido se eu realmente fosse criada pelos Kennishes? Será que eu ia acabar surda? Será que eu ficaria tão feliz e satisfeita como estou com Regina?
Bay, por outro lado, sempre é a drama queen. Eu concordo que ela precisa lidar com o fato que a mãe sabia da sua existência e nunca tentou nada. Errada. Ela tentou ajuda-la em um recital a muitos anos atrás. De qualquer forma, Bay afirma que sempre se sentiu ‘excluída’, e acha que se Regina a tivesse tomado de volta, ela não se sentiria assim. O que me irrita mesmo é que ambas viveram uma vida maravilhosa, mesmo não sabendo a verdade. Parece que elas se esqueceram disso, por enquanto.
Kathryn, que devia ter virado uma fera por causa disso, foi a salvação do episódio e da festa de aniversário das garotas que, obviamente, foi a BALADA do ano. O desconforto de todos era palpável, como se fosse algo 3-D.
Emmet e Bay continuam a viver um amor bandido. Melody, como sempre, foi ótima e trouxe uma ótima reflexão: relacionamentos já são difíceis. Por que dificultar mais ainda? O fato é que, Emmet já devia ter aprendido a falar faz séculos e ter contado sobre o seu relacionamento para Daph. Agora, a sujinha quer fazer coito com o garanhão e Bay não será chamada para compor a orgia. Foi bonitinho o que Emmet fez para a latina. Agora, como, eu não sei. Sinto que ele não possui outras habilidades, além de digir uma moto, tirar fotos e participar de um triângulo amoroso. Paradoxo mesmo foi Bay correndo da polícia, pois os dois estavam vandalizando e ainda reclamou, pois não conseguiu uma única coisa que não fosse arruinada por outros. (!!!).
John não consegue de jeito nenhum perdoar Regina e até o ruivo-sujo tentou fazer o pai perdoar a nova adição à família Kennishes: já que obviamente, vai rolar uma pedofilia nos próximos episódios, entre Regina e Toby. Falando nisso, o episódio da semana que vem é o último deste ano. A ABC Family decidiu dar sinal verde para a produção de adicionais 22 episódios. Pena que veremos esses só ano que vem. 

Sigam-me no twitter: @marcoacpontes

Review – Switched At Birth 1×08 – Pandora’s Box

Uau. Switched at Birth acabou de tomar um rumo completamente diferente.

Esse episódio mostrou que a série não é uma coisa ‘fofinha’ como estava sendo nas últimas semanas. Agora, como a abertura da caixa de Pandora, ou, melhor, a caixa do violão, mentiras, culpa e acusações raiva estão dominando a série.

No final do episódio anterior, Daphne descobre que Regina estava perseguindo Bay fazia muito tempo. Agora, ela quer saber a verdade e pelo jeito, todo mundo quer também. Regina poderia muito bem ter falado a verdade antes de a bomba explodir, e o pior ainda foi Kathryn e John descobrirem isso durante o processo.

Aparentemente, Regina sente-se confortável em viver numa teia de mentiras e Daphne não. Isso mostra o quanto elas são diferentes. Agora, Bay sente-se abandonada por Regina, Daphne sente-se traída por ela – além de agora descobrir que o pai dela foi embora por causa dela- enquanto os Kennishes sentem-se traídos por terem perdido tanto tempo longe da vida da ruivinha. Regina poderia pegar logo toda sua mudança e voltar para o EL México porque obviamente, ninguém quer a latinha no Kansas.

As emoções que todos estão sentindo em relação a Regina é algo que aconteceu ou é algo que já estava quase explodindo? Não sei o que pensar, mas sinto que Regina poderia ter evitado aquele drama, principalmente por causa de Bay. A latina sabia da existência dela e não foi atrás. Acho que alguém não vai estar mais na lista de natal dos Kennishes, hein.

A única coisa que fez sentido para que Regina continuasse vivendo uma mentira era ela achando que caso todos soubessem mais cedo da troca, ela ficaria sem Daphne. Gostei da ruivinha finalmente se impondo contra a mãe, magoando ela. Regina, porém, tem razão: por ela considerar Daphne sua filha e criar ela como uma deve contar para alguma coisa. 

Eu gosto do Emmet e Bay juntos, mas ele também está mentindo pra cacete na série.. para sua melhor amiga. Não entendo qual é o problema de falar que quer fazer coito com Bay. Bom, óbvio, ele não quer falar… mas vocês entenderam. Aquela falta de putaria envolvendo Daph me fez duvidar da sanidade da personagem: por que será que ela não foi para os finalmentes com ele? Se eu fosse ela, pegava logo aquele tesão. 

A série está se tornando bem tensa. Será interessante ver como as personagens lidarão com as descobertas e como as relações entre eles ficarão após esse episódio.

Sigam-me no twitter: @marcoacpontes

Review – Switched At Birth 1×07 – The Stag Hunt


Um novo casal (bonitinho) em Switched At Birth. 

No sétimo episódio, minhas preces foram atendidas. Emmet e Bay finalmente tiveram um momento (mesmo que esse momento é uma dancinha estranha) e depois se beijam e Toby finalmente virou mais do que um simples figurante.

Regina descobriu que era amiga de Kathryn pois a última decidiu virar uma super empata-foda, fazendo com que Regina parasse de fornicar com Bruce. Momento vergonha quando a ruiva-mor decidiu ’agarrar’ a própria filha.

Daphne não queria, de jeito nenhm, encontrar com o suposto pai. Ele foi embora quando ela tinha 2 anos, como ela ia lembrar de algo, de qualquer jeito? Mas mesmo assim, o momento entre Emmet e Daph foi memorável. Daphne estava achando, durante todo esse tempo, que seu pai foi embora pois ela tinha ficado surda. Não sei se Regina está mentindo falando que não foi isso que aconteceu, mas é provavel que na verdade, foi isso que aconteceu.

John realmente é uma pessoa muito insistente. Ele praticamente passou o episodio inteiro correndo atrás do suposto amigo, só para descobrir que na verdade, o que hospital tem de novidade, é sobre Regina. Que choque. Claramente seria algo dela, pois ela é uma latina e eles gostam de esconder certas coisas.

Passando para um assunto menos previsível, finalmente os pais de Toby e Bay decidiram deixar ele sofrer com as consequencias de ter roubado a prova mas, outra vez, ele ficou inpune, já que o amigo Wilke decidiu levar a culpa pelo ocorrido. Regina precisou aparecer para colocar algum juízo dentro da cabeça do ruivo, já que ninguém mais estava conseguindo e só assim, ele resolveu virar um homem, confessando-se para o diretor.

Achei curioso quando Regina disse que o serviço social tentou tirar Daphne dela. As vezes eu me esqueço que ela é uma alcoolatra, já que isso não é muito aproveitado na série. Gostaria de saber mais sobre o passado da latina. E finalmente, minha dúvida foi tirada: Regina não tenta conhecer Bay pois ela já estava perseguindo a menina fazia séculos!
 

Review – Switched at Birth 1×06 – The Persistence of Memory



Mais drama em Switched at Birth.
Dê início volta a questão de quem é o pai de Bay/Daphne sendo que a primeira vai atrás de descobrir quem é o tal, e consegue uma ajuda inesperada: Emmet.

O jovem consegue rastrear o carro pela placa da foto que Daphne deu a Bay, e então chegando ao um ferro velho, eles encontram um chaveiro que leva Emmet contar à Bay uma história de uma tal guitarra que Regina tem tanto “cuidado”, que pode ser relacionada ao chaveiro.


Bay está perto de descobrir o seu pai biológico, já Tobby continua sofrendo com suas dívidas, que aumentou após outra partida de poker, como vocês viram no episódio passado, ele até tenta vender alguns pertences, mas ainda não é o suficiente, que acaba fazendo que aceite uma proposta de Wilkie (o amigo para qual ele está devendo) para “roubar” uma prova.


Enquanto Tobby se preucupa com um aviso de Wilkie, que seu professor pode estar desconfiado, Daphne engressa num curso de culinária, mais acaba não dando muito certo, pois com suas limitações, a jovem acaba arranjando alguns problemas, e até quase sendo atropelada, após não reparar um carro.


A jovem chega até pensar em colocar um implate coclear, sendo que com o implante a sua audição voltasse, mais Regina tira a idéia da cabeça de Daphne, que agora vai as aulas com um intérprete.






John se preocupa com o tal processo contra o hospital, que após ele ter aceitado a proposta, eles escolhem resolver o caso em julgamento.Kathryn aprova a proposta do implante, mas Regina novamente aconselha agora Kathryn a desistir disso e aprender Libra (Linguagem de Sinais).

O episódio acaba numa linda cena de um abraço de Kathryn e Regina, após o interesse da primeira em aprender a linguagem.Eu sinceramente prefiro Daphne surda, é o charme dela, que ja atraiu muita gente!

[Review] Switched at Birth – 1×05 – Dogs Playing Poker

Chegou a hora de despedidas!

Com mais um episódio “fofinho” Switched at Birth me encanta cada dia mais, e com mais um episódio ótimo, mostra que tem potencial.


O episódio se focalizou mais em Tobby, gostei dessa iniciativa pois desde o começo da série o ator é o único da família como figurante, sendo que o ator é bom e é conhecido por muita gente já estava na hora de dar uma chance para ele.

O episódio começa e termina com o romance de Bay e Ty que até começou bem, mais não teve um final como esperávamos, após John pegar os dois se beijando na frente de casa às três da manhã ele e Kristen tentam tem uma conversa sobre sexo com a jovem, que se esquiva toda vez.

O garoto revela que tem um “plano”, alistou-se no exército, isso acaba com jantar e com Bay que não sabia de nada.

Enquanto a situação não está nada boa no jantar Daphne tenta ajudar Tobby a ganhar no poquêr e diminuir sua divida com seu amigo.

Tudo está indo a mil maravilhas, até o parceiro de banda de Tobby, descobrir o macete de Tobby e faz com que o jovem fique devendo mais ainda a ele.E que se deu mal com toda essa história foi Daphne que com a sua mesma atitude de ajudar os outros acabou passando uma “informação falsa” a Tobby que acaba perdendo o jogo e muito dinheiro.


O destaque do episódio foi Regina, que não escutou Kristen e saiu com Bruce, e o que me surpreendeu foi a atitude dela, num episódio falando muito sobre sexo, ela manda Bruce encostar o carro e sabe se lá o que acontece, mostrando cada dia mais a sua incrível semelhança com as atitudes de Bay.

O episódio acaba com cada um com seu problema, Daphne culpada pela perda de dinheiro de Tobby, Bay na maior “deprê” por Ty ter ido embora e Tobby tendo que vender alguns de seus pertences para pagar o amigo.Enfim, episódio bem divertido.