Arquivo da categoria: The Good Wife

Review: The Good Wife 3×11 – What Went Wrong


Com certeza havia algo errado com aquele julgamento.

Sabemos que é um bom episódio de The Good Wife quando o episódio começa direto no veredicto de algum caso. E ainda colocando Kalinda e Alicia se comunicando no mesmo episódio? Muita delícia esse último episódio do ano.


A questão de Kalinda e Alicia já está se arrastando por muitos episódios. Pensei que até o final de 2011 estaria resolvida. Porém, resolveram finalmente colocar Alicia descobrindo sobre o papel vital que Kalinda desempenhou na questão do sumiço da filha. Claro que essa questão seria abordada logo, e não fiquei em momento algum achando que demoraria muito tempo.


Do jeito que Alicia estava aparecendo no episódio – toda desligada – tenho certeza que muita gente achou que Diana iria mandá-la pastar em outra firma. Nunca passou pela minha cabeça, e com certeza seria algo em relação à parceira na firma.


O grande problema é que Alicia está muito à vontade com Peter, novamente. Espero que agora que ela acabou tudo com Will, não volte para Peter. Não vejo os dois sendo felizes. Aliás, se ela voltar para Peter, com certeza não conseguirá olhar Kalinda nos olhos por muito mais tempo.


Mas torço pela reconciliação das duas. É tão difícil achar duas protagonistas mulheres que conseguem uma química linda na telinha e as duas possuem. Portanto, espero que venha logo esse dia.


Em relação ao julgamento, foi muito bem usado todas as técnicas de espionagem que Kalinda possui, mesmo que isso a colocou na cadeia. Pior mesmo foi aquela jurada, que ficou contando TUDO para a árabe só porque ela mostrou interesse pela coleção de moedas.


Pensei que eles iriam conseguir achar um jeito de continuar com a história do jurado que descobriu que a testemunha foi o mesmo que matou um hispânico anos atrás, por isso não gostei muito de como terminaram o caso. Seria bem mais interessante se tocassem nesse assunto, considerando que a série sempre lida com temas controversos.


Porém, The Good Wife fechou 2011 com muitos altos e alguns baixos, e não posso deixar de comentar da cena em que Peter praticamente ameaça a diretora de TUDO que é possível no mundo, só para conseguir as vagas para os filhos. Desnecessário dizer também que mesmo que a motivação de Diane em tentar ser ‘amiga’ de Alicia não seja lá muito verdadeira, será uma boa mudada, considerando que as duas são as mulheres (juntas com Kalinda) mais fodas da série.

@marcoacpontes
Anúncios

Review: The Good Wife 3×10 – Parenting Made Easy

Martha resolve aparecer novamente.

E além do mais, sr. Canning está ajudando Martha. Sabia que seria um episódio lindo, principalmente por se tratar de Caitilin e Martha se confrontando em uma ARBITRAGEM. Todo mundo lá levou tudo aquilo muito a sério, sem contar o momento decisivo no final.


A questão era se o reitor sabia se ela era religiosa, e como ela confessou em um e-mail para a irmã que ela tem que esconder as crenças, obviamente ele não sabia. Isso tudo foi por causa do Sr. Canning, que foi logo dando ajuda à Alicia quando ela precisava, mas acabou sendo mais malvado, roubando os e-mails da bolsa da advogada. Pelo menos, ele esperou Grace estar segura.


Achei bem válido Peter se mostrar mais humano nesse episódio, quando ele diz que deixou a investigação da firma para os outros porque ele achava que se ficasse, talvez não seria tão rigoroso na investigação por ser a firma onde a mulher dele trabalha. Às vezes, gostando de pensar nele como um vilão, mas não é bem isso que ele é.


A série nunca fica violenta, então sabíamos muito bem que Grace estaria bem, mas bato palmas e de pé para Juliana Marguilies, que executou muito bem toda aquela sequência… Desde quando viu as 12 ligações e depois ouviu o carro, até o momento em que sai correndo atrás de todos para conseguir encontrar a filha.


Acho que teria sido uma boa hora para Kalinda mostrar o tanto que importa e ter deixado Grace comentado que ela que a achou e levou para casa. Talvez assim, Alicia e Kalinda voltassem a ser amigas, algo que está precisando acontecer há muito tempo. 

@marcoacpontes 

Review: The Good Wife 3×09 – Whiskey Tango Foxtrot

É, as vezes não dá para ganhar todas.

Todo mundo achou um choque e completamente inesperado a firma ter perdido o caso da mulher que matou 12 civis em um ataque contra os terroristas. Sinceramente, tanto faz se ela é mulher, se estava quase drogada, porra, ela matou 12 pessoas… 6 crianças.


Fiquei passado, porém, com a audácia que Alicia teve na corte militar. Claramente ela está muito solta, já que falou cada coisa. A juíza teve até que pará-la, mas Alicia sempre consegue falar as coisas quede um jeito que qualquer pessoa consegue entender, mesmo se ela não falou, de fato.


A série sempre consegue tocar em assuntos tensos e complicados para os americanos, e gostei do que fizeram nesse episódio. Podiam, porém, questionar a política. Os soldados lidam com questões complicadas, precisam trabalhar bastante e ainda há a questão que mortes de civis são consideradas apropriadas quando o algoritmo da cadeia de morte é favorável. Tudo isso poderia muito bem ser criticado, entretanto, como The Good Wife é um programa norte-americano, fica só para mim essa delícia de crítica.


O episódio foi meio tumultado com a questão dos queijos. É bom também para Eli perder as vezes. Confiou na pessoa errada e fez o gráfico errado. Gosto quando a série consegue achar uma forma de trazer de volta coadjuvantes marcantes. Foi o caso nesse episódio com a presença de Wendy Scott-Car. Foi belíssima a cena em que ela tenta fazer Diana se virar contra Will. Tenho certeza que isso vai acontecer em um momento futuro, mas não seria uma ex-política que conseguiria tal artemanha.


O momento mais engraçado ficou com Jackie levando na cara por ter mexido no computador da Alicia episódio passado. Porra, se ela não sabe como LIGAR, porque ela foi xeretar? Muito engraçado também a solução que Alicia teve para a questão do transporte: vamos comprar um carro para você, Zach!

 @marcoacpontes

Review: The Good Wife 3×08 – Death Row Tip


Não seria The Good Wife sem um episódio do corredor da morte.

Eles fizeram novamente! Em 2010, na segunda temporada, o episódio 9, exatamente, foi o primeiro episódio em que vimos um cliente no corredor da morte, horas à distância de morrer, e os advogados tentando fazer uma apelação. No episódio deste ano, eles não tentaram com tanta vontade igual ano passado, sem contar que tinha mais um caso envolvido com o assassino, mas mesmo assim, foi um episódio de grande agrado.


O melhor foi que reclamei review passado da falta que Cary anda fazendo na série, não tendo muita relevância. Aqui, além de reclamar, reclamou muito, cheio de ciúmes por Kalinda estar tentando fazer com que a outra mulher durma com ela. Cary sempre teve um sentimento não tão oculto por Kalinda, então é ótimo ver os dois finalmente se pegando (mesmo se essa pegação foi pouca).

No geral, o caso foi bem sólido. De alguma forma, um moço no corredor da morte sabia de um assassinato. Claro que também, Lockhart & Gardner teria algum cliente no meio, como sempre. A firma sempre trabalha como defesa, e nunca, como…….

Alicia teve um grande problema, por ter uma filha da mesma idade das que foram estupradas e mortas pelo moço no corredor da morte. Claro que ela iria sentir um peso, preocupando-se mais ainda com a filha. Gostei da aproximação de Zach com a filha de Eli, que sempre é ótima nas aparições.

Eli teve que lidar com um potencial candidato para alguma eleição e essa parte foi extremamente divertida. Um candidato que fez sexo oral no papai noel. Um dia comum em The Good Wife. Falando nisso, sabe quem não aparece por Chicago por um bom tempo? Celeste.

Tenho certeza que os roteiristas ainda a usarão bastante nessa temporada, principalmente por causa da investigação da promotoria envolvendo Will. Ainda estou muito ansioso com todo o plot das investigações sobre a firma. Tenho certeza que teremos muitas cenas épicas. Será que finalmente veremos a tão esperada briga entre Will e Peter?

 @marcoacpontes


Review: The Good Wife 3×07 – Executive Order 13244

The Good Wife tocando na ferida dos americanos.

Desnecessário dizer que quando a série toca em assuntos delicados, como a questão dos muçulmanos que podem ou não estarem envolvidos no atentado de 11 de setembro, tudo passa de um nível perfeito para um mais perfeito ainda.

Lindo como eles usaram o episódio para atiçar o governo americano e até Barack Obama foi citado. Eu acredito sim, que depois do ocorrido, os americanos devem fazer muitas ‘perguntas’ para qualquer pessoa étnica que está no pais deles. Todo cuidado é pouco, concordo, mas a partir do mundo que os interrogadores não acreditam na nacionalidade do suspeito e ainda não aceitam o que está escrito no passaporte, aí já é demais.

O bom é que mesmo Kalinda e Eli não terem aparecido no episódio, ainda continuou um ótimo episódio. Gosto quando a série fica bastante apelativa, como foi o caso desse episódio. Como sempre, os coadjuvantes sempre são como os principais, já que eles sempre ficam marcados na nossa memória e mesmo não sabendo o nome, sabemos exatamente qual foi o caso e qual foi o episódio.

Eu tinha certeza que cedo ou tarde aquela questão de Baltimore e de Blake aconteceria novamente, e nada melhor do que um confronto entre os peguetes de Alicia. Cary, por outro lado, anda meio apagado na série, e até a mulherzinha que está trabalhando com ele, cujo nome nem me lembro, anda tendo mais destaque.

Fiquei bastante intrigado com a tal entrevista de Alicia com a Receita Federal. Pensei que seria por causa disso que o cliente iria ser preso. Felizmente, acharam uma forma de contornar a situação e ainda trouxeram a segunda atriz de True Blood para a série: Carrie Preston, que faz Arlene na série, conseguiu ser uma advogada com problemas, muitos problemas. Até pensaria que ela é esquizofrênica, mas não sou médico para ter certeza.

No geral, outro episódio arrasador de The Good Wife, mostrando, semana após semana, que além de ser o melhor drama da atualidade, ainda consegue comprar uma briga feia com o próprio governo americano.

@marcoacpontes

Review: The Good Wife 3×05/06: Marthas and Caitlins/Affairs of the State

The Good Wife finalmente entrando nostrilhos.

Ninguém gosta de ver suaprotagonista virar uma bandeja que pode ser entregue para qualquerum. Porém, quando David Lee faz isso, é extremamente interessante.A razão pela qual ele deu uma crise com Alicia foi por que elapraticamente (meio que indiretamente) desobedeceu as instruçõesdele para contratar a sobrinha dela ao invés de uma mais sensível equalificada candidata. O que serviu para que ela descobrisse que elaé uma “Caitilin”, ou seja, ao ser contratada passou por cima deuma candidata bem mais qualificada.

Acho que Alicia já deviasaber que, sendo uma recém-separada e mãe de dois filhos, era osuficiente para que ela não seja uma candidata ideal, mas whatever.O caso dessa semana foi facilmente um dos melhores que a série jámostrou, fazendo com que todos os advogadas tivessem que trabalharjuntos.

Sem contar que LisaEdelstein como Celeste teve um melhor aproveitamente do que semanapassada. Nesse episódio os roteiristas finalmente deram falas quefazem jus ao seu talento, e a conversa dela com Alicia no bar foisimplesmente brilhante.

O plot da Grace porémchegou à um climax emocional, quando ela diz para Alicia que nãotinha nenhum amigo, então precisava da tutora de volta. O jeitoparental de Alicia sempre me fazia considerar ela como uma SuperMãe,mas nesse episódio isso foi ao extremo, quando Alicia vaireconsiderar contratar a tutora após a conversa com a filha.

As pessoas não sãodaquele jeito e tenho certeza que se um pai vê a filha fazendo algoextremament estranho na internet para o mundo inteiro ver, tenhocerteza que eles não iriam reconsiderar porcaria nenhuma.

O sexto episódio giroupraticamente em torno de Cary. Finalmente ele teve algum plot decentenessa temporada. Com certeza foi bom vê-lo abrir duas portas para oseu futuro. Super desnecessário dizer que foi patético Brodymencionar que Cary gosta de mulheres de outras etnias. Cary nuncateve nenhum interesse romântica – Só Kalinda, mas orelacionamento deles é meio cooperativo – e a série tem uma cotaelevadíssima de mulheres que não são caucasianas no elenco, esinto que os roteiristas só estão tentando levantar atenção sobreisso.

Talvez foi por que elesnão fizeram nada em três anos para construir Brody, além de ser umpersonagem que eu odeio profundamente, mas aquela afirmação naquelemomento parecia muito falsa. Não imagino uma situação na qualalguém, vendo uma mulher interagindo com um outro homem, a parariano corredor só para informá-la que esse homem tem uma preferênciasexual por mulheres da mesma etnia.

O caso da semana foisobre imunidade diplomática, com Cary mandando muito bem o episódiointeiro, primeramente pois o cara tentou sair do país e nuncapareceu inocente, mas o moço não era o único. A nova assistente deAlicia se provou bastante eficiente, além de ter dado a sensaçãode que ela irá acabar pegando Will em um futuro próximo.

A ex- mulher de Eli fezuma participação e foi bem interessante. Ela tinha grande químicacom ele, sem contar que os conseguiram, em uma única cena,construindo algo tangívelmente esquisito e complicado, porém, combastante afeição. Gostaria de ver mais disso no futuro.

Frases – The Good Wife



Alguns diálogos e citações ditos na 1° e 2° temporada de The Good Wife . Confira!

Review: The Good Wife 3×03/04 – Get a Room/ Feeding the Rat


Enquanto Eli estava lidando com oqueijo, Owen sendo honesto demais como sempre, Alicia estava ocupadaem um hotel, se deliciando com a possibilidade de passar um final desemana inteiro com o safado do Will.

Desnecessário dizer quegostei do episódio e até confirmo que foi um dos melhores atéagora. Teve uma certa dinâmica diferente, com as negociaçõesacontecendo em um hotel, com uma edição poderosa, que mostravatambém os depoimentos. Foi o primeiro episódio que a ótima LisaEdelstein participou, causando bastante entre Will e Alicia. Achavaque Alicia realmente estaria ofendida naquela hora e iria começar apensar direito na situação e finalmente iria parar de fornicar comWill, mas estava completamente errado. Não adiantou, porém, omediador sabia do que estava acontecendo.

No entanto, não tivemosque lidar com Peter, mas tivemos que lidar com a bitch da mãe dele.Felizmente ela apareceu pouco, só para dar para o ‘amigo’ de Owen umorgasmo. A participação do irmão de Alicia foi ótima, já queparticipou de praticamente todas as storylines do núcleo da famíliade Alicia. Espero, porém, que o que ela sente por Will não se torneamor… Que ela continue somente na pegação, acabando de vez comtoda a santa que existe dentro dela.

No quarto episódio, asérie mostrou o melhor episódio da temporada até agora. Tentaramser sexys, mas nem tanto, tentaram lidar com política, mas tambémnão foi tanto. Foi uma coisa totalmente equilibrada, cheia de plottwists e cheia de desenvolvimento de personagens.

Lisa estava de volta comoCeleste e também descobrimos um pouco mais sobre o passado de Will.Ele parecia muito bem para alguém que passou o dia inteiro e virou anoite jogando cartas. Os motivos que ela alega para trazê-lo para acompanhia no momento não são creíveis, e mesmo que eu tente, aindanão gosto de Will. Celeste, porém, continua jogando com Will, equem será que vai ser o vencedor? Ele, porém, estava tentandomudar, principalmente depois de perceber que não queria voltar àvida antiga. Infelizmente, Alicia realmente está procurando sódiversão. Queria, porém, que tivesse algum tipo de pegação noepisódio. Tá faltando já faz dois episódios.

No geral, o caso foitotalmente aceitável e interessante, principalmente por ter mostradoa história do acusado pelos próprios olhos, o que foi algodiferente, que nunca aconteceu em The Good Wife. Novos caminhostambém foram mostrados. Principalmente com a grande mudança decaracter de Diana. Ela sempre pensou mais em dinheiro do que qualqueroutra coisa, então dá pra esquecer que ela é de fato, um serhumano e que sente também. A decisão de trazer a assistênciajudicial para a firma foi algo que achava que não ia acontecer.

Por outro lado, o melhordo episódio mesmo foi a interação deliciosa entre Eli e Kalinda.Os dois brilham na tela e sinceramente? Ele precisa conseguir Kalindapara só mesmo, já que ele não consegue dividir. No entanto, asérie também trouxe uma conversa completamente embaraçosa entreWill, Peter e Celeste. Estava pensando seriamente quem ia ganharquando os dois fossem para cima do outro. Cheguei na conclusão queseria Peter, claro. Will é magro demais.

Review – The Good Wife 3×02 – The Death Zone

Tem como não amar The Good Wife?
Asérie nos apresentou outro episódio memorável e quando tínhamoscerteza que as mudanças já aconteceram, vem Kalinda e Peter paranos pisotear. Esse episódio foi melhor do que a Season Premiere emrelação aos novos personagens apresentados, principalmente oscoadjuvantes.

TheGood Wife sempre mostra seus personagens com características que osdiferem de todos os outros. Mesmo o personagem aparecendo somente poruma semana, não é fácil de esquecer dele e muito menos do plot,sendo que eles se sobressaem tanto quanto os principais. O caso dasemana foi legal, mostrando que The Good Wife não só samba na carados americanos, como faz isso também com os britânicos. Eu haviaachando muito previsível no começo, tinha quase certeza que o casoseria arquivado pois ninguém tinha certezada de nada, já queaparentemente, todo mundo ficou tendo alucinações no topo doEverest.

Poroutro lado, a separação de Peter e Alicia vai acabar fazendo comque Diane mande Alicia para o olho da rua. Acho, porém, que ficou nacara que Peter está querendo ir atrás da firma, querendo que elesdeixassem a Receita Federal dar uma olhada nos livros. Acho que issoé um problema em qualquer firma (dinheiro sujo) então Diane deviaser mais espera ao perceber que ele está de fato querendo atrapalharos negócios.

CasoPeter e Alicia continuem com essa história de não tornar público asepração, Diane vai acabar achando que Alicia está de fatotrabalhando contra eles, mesmo que não esteja, e com certeza Peterserá um problema para todos, e não só nos tribunais quando for oscasos de Alicia, mas agora também será um problema para a firma emsi.

Elitrabalhou com Kalinda nesse episódio, algo que acho que todos queremque se repita logo. Foi realmente um tapa na cara ao descobrir que otal amigo de Eli queria que ele fizesse uma ‘auditoria’ para umcandidato que vai acabar virando republicano. Zach também teve seumomento de brilhar no episódio, mostrando medo de acabar se tornandoo próprio pai – um péssimo amante e uma péssima pessoa.

Alicia foi novamente destemida no ‘tribunal’ e depois daquele momento emque ela toma as rédeas da situação e acaba com o advogado daacusação, tinha certeza que Will ia querer ter uma rapidinha nobanheiro. Pena que Diane veio dar uma de voyerismo, querendo observartudo e broxando os dois.

@marcoacpontes

Review – The Good Wife 3×01 – A New Day


Não deixe o nome te enganar…

Alicia Florrick não é mais a boa esposa… É uma nova e revigorada mulher, que está cansada de sempre se decepcionar, e está entrando em uma nova fase, um novo começo, um novo dia. Bem no começo do episódio já deu para sentir: Alicia saindo do elevador extremamente confiante, com roupas mais coladas do que o normal e no meio do episódio, com ela sendo bastante agressiva no tribunal. Geralmente,ela fica mais no que é certo… Mas poxa, ela até manipulou o juiz à quase desistir do caso.

Falando do caso da semana, que genial. Como tudo não é o que parece, claramente não estaríamos lidando com um crime de ódio. Estávamos lidando com um crime passional, envolvendo um muçulmano e um judeu que eram amantes. É bom ver temas tão atuais sendo abordados na série, que sempre foi e sempre será, uma das séries mais ousadas da TV aberta norte-americana.

Eli foi outro que passou por grandes mudanças: agora, trabalhando na Lockhart & Gardner, ele precisou lidar com um cliente que pode ter o contratado somente pela sua religião. Eli sempre foi um bipolar na série, e vimos então, que tinha seus próprios interesses ao aceitar a proposta de trabalho.

Mesmo que no momento o relacionamento de Will e Alicia não está muito definido, praticamente todo o resto está. Com Peter agora como procurador e Cary com um ódio mortal de Alicia, todos os casos devem ser uma forma dos dois despejarem a vontade de jogar ela na parede. Peter, porém, não percebe que Alicia está mudada e com o tempo, ele vai parar de acertar quase todos as ações da ex-esposa. Kalinda não estava muito motivada nesse episódio e nem sei bem se a entrada de Sofia para a promotoria foi uma boa ideia… Kalinda já se sente isolada por causa do término da amizade com Alicia, então não sei se essa nova adição vai ajudar as coisas. A vida pessoal de Kalinda é muito bagunçada, e não, eu não quero ver um sexo à três com ela, Cary e Sofia.

Gostei, então, de como o programa não vai ficar explorando cada momento íntimo da vida de Alicia, mas somente pelo fato dos roteiristas conseguirem achar um equilíbio entre o choque emocional que Alicia está passando na sua vida pessoal – chegando ao ponto de ter que fingir um clima tensão entre a própria e Will para depois ficarem só na penetração – e com os desafios que ela lida toda semana na vida profissional já prova que temos uma produção de qualidade e inteligente, algo que a maioria das outras séries por aí não possui.

@marcoacpontes